Putin: abate de caça russo foi “um golpe pelas costas”

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que o abatimento de um caça russo por forças de segurança da Turquia nesta terça-feira 24 "terá consequências trágicas nas relações" bilaterais

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante encontro em Moscou. 17/11/2015 REUTERS/Alexei Nikolskyi/SPUTNIK/Kremlin
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante encontro em Moscou. 17/11/2015 REUTERS/Alexei Nikolskyi/SPUTNIK/Kremlin (Foto: Gisele Federicce)

Jornal do Brasil - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que o abatimento de um caça russo por forças de segurança da Turquia nesta terça-feira, dia 24, foi "um golpe pelas costas" que "terá consequências trágicas nas relações" bilaterais.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) irá realizar uma reunião extraordinária nesta terça-feira para debater o abatimento de um caça russo. Segundo fontes do organismo, o encontro terá como objetivo trocar informações sobre o episódio.

A aviação da Turquia derrubou um avião militar russo perto da fronteira com a Síria, que teria violado o seu espaço aéreo, informaram as autoridades turcas.

De acordo com a agência russa Interfax, o Ministério da Defesa da Rússia confirmou que uma de suas aeronaves foi derrubada na Síria, aparentemente após ser atingido por disparos do solo. O ministério informou ainda que os pilotos conseguiram se ejetar e abrir os paraquedas.

Moscou nega que o avião tenha cruzado a fronteira entre Síria, onde lança ações contra rebeldes, e a Turquia. "Durante o voo, o avião permaneceu todo o tempo sobre o território da Síria, como ficou registrado nos radares", informou o Ministério da Defesa da Rússia.

As televisões difundiram imagens da queda do avião em chamas nas montanhas perto da fronteira turca, na província de Hatay.

Segundo o Exército da Turquia, o avião derrubado foi alertado várias vezes sobre a violação do espaço aéreo.

O premiê Ahmet Davutoglu ordenou que o ministro das Relações Exteriores entre em contato com a Otan, a ONU e países relacionados aos acontecimentos na região sobre o que aconteceu na fronteira.

Consequências para a guerra

Segundo o jornal El País, o governo de Ancara tem tradicionalmente atuado como protetor da minoria turcomana na Síria e no Iraque, que também tem o apoio de várias organizações ultranacionalistas e islamitas da Turquia e apoia a oposição síria, mas este último incidente poderia prejudicar a estratégia projetada nas últimas semanas, com os EUA. Nesta terça-feira (24/11) a chegada na Turquia do vice-presidente do Estado-Maior dos EUA, o general Paul J. Selva é esperada para abordar o plano de abrir uma nova frente contra o EI no norte da Síria usando os "rebeldes moderados" e quarta-feira de manhã está previsto que o ministro do Exterior russo Sergei Lavrov se reunirá com seu homólogo turco Feriddun Sinirlioglu.

Com Ansa

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247