Putin participará da cúpula da Organização do Tratado de Segurança Coletiva

O evento contará com a presença do primeiro-ministro da Armênia Nikol Pashinyan e do presidente da Bielorrússia Alexander Lukashenko, entre outros

www.brasil247.com - Presidente da Rússia Vladimir Putin
Presidente da Rússia Vladimir Putin (Foto: Sputnik/Ramil Sitdikov/Pool via REUTERS)


TASS - O presidente russo, Vladimir Putin, visitará Yerevan, capital da Armênia, nesta quarta-feira (23) para participar de uma sessão do Conselho de Segurança Coletiva, o principal órgão do bloco liderado por Moscou conhecido como Organização do Tratado de Segurança Coletiva (CSTO na sigla em inglês).

Espera-se que a cúpula conte com a presença do primeiro-ministro armênio Nikol Pashinyan, do presidente bielorrusso Alexander Lukashenko, do presidente quirguiz Sadyr Zhaparov e do presidente tadjique Emomali Rakhmon. A participação do líder cazaque Kassym-Jomart Tokayev, que venceu as eleições presidenciais antecipadas de 20 de novembro com uma vitória esmagadora, está agora em questão, já que sua cerimônia de posse está marcada para 26 de novembro.

O serviço de imprensa do Kremlin informou anteriormente que a cúpula em Yerevan se concentraria nas principais áreas de cooperação dentro da organização, bem como em importantes problemas internacionais e regionais.

Espera-se que Putin se encontre com Pashinyan à margem do evento. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse anteriormente que o líder russo "terá uma oportunidade" de se encontrar com seu homólogo bielorrusso também.

A cimeira será precedida de reuniões ministeriais das Relações Exteriores e da Defesa, bem como de secretários dos conselhos de segurança nacional dos Estados membros do CSTO.

Espera-se que os participantes desses eventos discutam a situação militar e política nas áreas de segurança coletiva, abordando também política externa, cooperação militar e antiterrorista no âmbito do CSTO e medidas para fortalecer o sistema de segurança coletiva.

Ajuda para a Armênia

O secretariado do CSTO disse anteriormente que os líderes prestariam atenção especial ao mecanismo de resposta à crise da organização e às medidas conjuntas para ajudar a Armênia em meio às últimas tensões em sua fronteira com o Azerbaijão.

Mais cedo, Yerevan iniciou uma cúpula de emergência do CSTO, realizada por meio de um link de vídeo em 28 de outubro. Além disso, a cidade turística russa de Sochi, no Mar Negro, recebeu conversas pessoais do presidente russo Vladimir Putin, do primeiro-ministro armênio Nikol Pashinyan e do presidente do Azerbaijão Ilkham Aliyev em outubro 31.

A Armênia espera que os participantes da reunião de quarta-feira apresentem uma avaliação política clara das ações do Azerbaijão na fronteira comum e adotem um roteiro para restaurar a integridade territorial do país.

Presidência bielorrussa

Espera-se que o presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, revele as prioridades da presidência de seu país na organização no próximo ano. Além disso, o Conselho de Segurança Coletiva discutirá a questão do secretário-geral do CSTO à luz do próximo rodízio previsto para 1º de janeiro de 2023.

O atual secretário-geral da organização, Stanislav Zas, disse após uma reunião com o líder bielorrusso no início de novembro que Minsk apresentou um conjunto de prioridades "tradicionalmente simples": a organização deve se concentrar em "problemas urgentes" em vez de assuntos "abstratos e artificiais". 

Ameaças de terroristas afegãos 

A questão do Afeganistão e as ameaças vindas do país continuam no centro das atenções da organização. O presidente tadjique Emomali Rakhmon disse anteriormente que grupos terroristas do Afeganistão estão solidificando suas posições no Afeganistão, inclusive com a ajuda de tecnologias digitais avançadas. Em suas palavras, esses grupos continuam sendo uma séria ameaça para toda a região da Ásia Central.

Ao mesmo tempo, o governo do Tajiquistão expressou repetidamente sua preocupação com o crescimento do tráfico de drogas do Afeganistão. De acordo com o gabinete do procurador-geral do país, a quantidade de drogas afegãs contrabandeadas apreendidas no Tajquistão quase dobrou desde 2020, chegando a quatro milhões de toneladas.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email