Queda de aviões militares causa ao menos 18 mortes na Angola

Aeronave que caiu ontem na cidade de Huambo foi fabricada pela Embraer; segundo acidente ocorreu na manh de hoje

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - A queda de dois aviões da Força Aérea Nacional de Angola em apenas dois dias causou, segundo fontes oficiais, ao menos 18 mortes e deixou um número incerto de feridos. O primeiro acidente ocorreu ontem (14). O segundo, na manhã de hoje (15).

A aeronave que caiu nessa quarta-feira próximo ao Aeroporto Albano Machado, em Huambo, uma cidade do estado de Cabinda, era um turbo-hélice modelo Brasília EMB-120, construído pela brasileira Embraer. Segundo o fabricante, o avião tem capacidade para até 33 pessoas e foi entregue à Aeronáutica angolana em 2006.

Segundo a agência pública de notícias angolana, Angop, 11 militares e seis civis, entre eles duas mulheres e duas crianças, morreram no acidente de ontem. A imprensa local e agências internacionais, como a BBC, informam que o número de mortos é maior.

O governo brasileiro enviou uma mensagem de solidariedade às famílias das vítimas. “O governo e o povo brasileiros manifestam suas mais sinceras condolências e sua solidariedade às famílias das vítimas e ao governo e ao povo angolanos”, diz a nota divulgada hoje pelo Itamaraty.

Já a Embraer informou ter entrado em contato com as autoridades angolanas para oferecer suporte e auxiliar a comissão de inquérito criada pelo Estado-Maior das Forças Armadas para esclarecer as causas do acidente.

O segundo acidente ocorreu esta manhã, na localidade das Três Pontes, na cidade do Lubango, província da Huíla e matou o piloto do avião modelo SU-22.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247