Referendo nas Malvinas aprova soberania britânica

Moradores das ilhas decidiram, por 98% dos votos, continuar sendo parte do Reino Unido; governador quer reconhecimento de argentinos e do Brasil, que apoiou Buenos Aires

Referendo nas Malvinas aprova soberania britânica
Referendo nas Malvinas aprova soberania britânica
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os habitantes das Ilhas Malvinas, ou Falklands para os britânicos, aprovaram nesta segunda-feira (11), por maioria absoluta, a permanência do território sob o domínio do Reino Unido em referendo. A Argentina considerou a votação ilegal.

No total, 92% dos 1.672 eleitores das ilhas votaram no referendo, e, segundo a France Presse (AFP), 98,8% disseram "sim" à permanência das Malvinas como território autônomo britânico.

A população comemorou o resultado com uma grande festa nas ruas e com fogos, cantando "Don't Cry For Me, Argentina" e "Rule Brittania".

Nomeado pela rainha Elizabeth 2ª, o governador britânico das ilhas, Nigel Haywood, disse esperar o reconhecimento de argentinos e do Brasil, que apoia Buenos Aires.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247