Rei da Bélgica pede perdão ao Congo pelo genocídio durante período colonial

Monarca Filipe Leopoldo é tataraneto de Leopoldo II, responsável pela morte de mais de 3 milhões de pessoas durante o período colonial. Pedido acontece no dia do aniversário de 60 anos da independência da República Democrática do Congo

(Foto: Bloom.be)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Nesta terça-feira (30), o rei Filipe Leopoldo, da Bélgica, difundiu uma carta pública ao presidente da República Democrática do Congo, Félix Antoine Tshisekedi Tshilombo, na qual pede perdão oficialmente pela violência cometida pelo seu país durante o período colonial do país africano.

“Na época do Estado Livre do Congo, foram cometidos atos de violência e crueldade, que ainda pesam em nossa memória coletiva. O período colonial que se seguiu também causou sofrimento e humilhação”, afirmou o rei.

Durante o final do reinado de Leopoldo II (tataravô de Filipe Leopoldo), entre os anos de 1885 e 1908, o território do Congo era oficialmente uma colônia da Bélgica, embora, na prática, fosse administrada como uma propriedade pessoal do monarca.

Continuel lendo na Fórum

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247