Reino Unido identifica três autores do ataque que matou 7 em Londres

Polícia de Londres realizou novas batidas no leste da cidade, na madrugada desta segunda-feira (5), e prendeu mais suspeitos de envolvimento no ataque que deixou sete mortos e 48 feridos na noite de sábado (3); as autoridades dizem já ter identificado os três autores do atentado, mas explicam que ainda não divulgaram os nomes para proteger a investigação; faltando três dias para as eleições parlamentares, Theresa May e os conservadores retomam suas campanhas nesta segunda-feira

Flores e mensagens são deixadas perto de cordão policial nas proximidades do Borough Market, após ataque deixar 7 pessoas mortas no centro de Londres. 04/06/2017 REUTERS/Peter Nicholls
Flores e mensagens são deixadas perto de cordão policial nas proximidades do Borough Market, após ataque deixar 7 pessoas mortas no centro de Londres. 04/06/2017 REUTERS/Peter Nicholls (Foto: Aquiles Lins)

Maria Luísa Cavalcanti, da RFI - A polícia de Londres realizou novas batidas no leste da cidade, na madrugada desta segunda-feira (5), e prendeu mais suspeitos de envolvimento no ataque que deixou sete mortos e 48 feridos na noite de sábado (3). As autoridades dizem já ter identificado os três autores do atentado, mas explicam que ainda não divulgaram os nomes para proteger a investigação.

Os moradores de Londres tentam voltar à normalidade nesta segunda-feira, menos de dois dias após o ataque terrorista que atingiu uma das regiões mais movimentadas da cidade. As ruas em torno do mercado de Borough e da estação de trem de London Bridge permanecem interditadas, mas a ponte que liga a margem sul do rio Tâmisa ao coração financeiro da capital já foi reaberta.

Na noite de domingo, o grupo Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque, mas a informação ainda não foi confirmada pelas autoridades britânicas.

Algumas das vítimas já foram identificadas, entre mortos e feridos. Entre elas, há pelo menos um cidadão francês, um espanhol, um neozelandês, dois australianos e uma canadense, Christine Archibald, por enquanto a única vítima fatal cuja identidade foi divulgada. Um francês está desaparecido. A polícia também confirmou que um homem foi baleado no tiroteio que resultou na morte dos três terroristas.

No domingo, policiais fizeram uma série de batidas em apartamentos do leste de Londres e prenderam 12 pessoas, sete delas mulheres. Vizinhos afirmaram que um dos possíveis autores do ataque era casado e tinha dois filhos. Pelo menos duas pessoas vieram a público para dizer que já tinham reportado o homem aos serviços de inteligência por causa de suas opiniões extremistas. É uma situação semelhante à que ocorreu com Salman Abedi, o militante que detonou uma bomba em um ginásio de Manchester há duas semanas, matando 23 pessoas.

A chefe da polícia de Londres, Cressida Dick, se negou a comentar se os autores do ataque de sábado já eram conhecidos pelas autoridades. Mais detalhes sobre os três homens devem ser anunciados ainda nesta segunda-feira, depois de uma reunião da primeira-ministra, Theresa May, com os chefes dos serviços de inteligência e as forças de segurança.

Campanha eleitoral é retomada

Faltando três dias para as eleições parlamentares, Theresa May e os conservadores retomam suas campanhas nesta segunda-feira. No domingo (4), May afirmou que quer dar um basta no terrorismo e que o país deve tomar medidas mais rígidas para reforçar sua segurança.

Mas o principal adversário de May na corrida eleitoral, o trabalhista Jeremy Corbyn, reprovou a intenção dos conservadores de cortar 20 mil policiais para economizar recursos. Corbyn e outros membros da oposição também criticaram May pela aproximação com a Arábia Saudita, um dos países suspeitos de financiar grupos extremistas no Oriente Médio.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247