CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mundo

Repressão na Síria deixa 20 mortos

Reao do governo acontece no dia em que a oposio inicia uma conferncia na Turquia

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Dois ativistas pelos direitos humanos afirmaram que 20 corpos foram levados para um hospital de uma cidade no centro da Síria. As fontes divulgaram que os corpos, com marcas de balas, chegaram à cidade de Homs nesta quarta-feira. Os ativistas disseram que as pessoas foram mortas a tiros na noite de ontem, na cidade de Rastan, onde militares reprimem opositores do presidente Bashar al-Assad nos últimos dias. As mortes elevam para 36 o número de pessoas mortas em Rastan e nas cidades próximas de Talbiseh e Teir Maaleh desde sábado. Os ativistas pediram anonimato, temendo represálias do governo.

Também nesta quarta-feira, ativistas da oposição síria iniciaram uma conferência na Turquia para discutir formas de mudar o regime. Organizadores disseram que a meta é produzir um cronograma para uma transição democrática pacífica. O evento deve terminar na sexta-feira, com um comunicado conjunto. Ontem, Assad anunciou uma anistia geral para presos políticos, inclusive da Irmandade Muçulmana. "O povo sírio quer a queda do regime", disse o chefe da delegação da Irmandade Muçulmana na cidade turca de Antalya, Melhem al-Durubi, rechaçando a oferta do presidente. Segundo o dissidente, Assad deve ser "julgado por seus crimes".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Mais de 1.100 civis morreram e pelo menos 10 mil pessoas foram presas, na brutal repressão oficial na Síria, segundo grupos pelos direitos humanos. Os protestos começaram em 15 de março e acontecem quase diariamente.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO