Republicanos reagem a acusações de fraude sem provas de Trump: 'Indefensável'

"Não há defesa para os comentários do presidente esta noite minando nosso processo democrático", disse Larry Hogan, governador republicano do Estado de Maryland

Larry Hogan
Larry Hogan (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Membros do próprio partido Republicano passaram a criticar publicamente as alegações sobre corrupção sem provas do presidente Donald Trump, que integra o mesmo partido.

"Não há defesa para os comentários do presidente esta noite minando nosso processo democrático", escreveu Larry Hogan, governador republicano do Estado de Maryland. "Os Estados Unidos estão contando os votos e devemos respeitar os resultados como sempre fizemos. Nenhuma eleição ou pessoa é mais importante do que nossa democracia", acrescentou.

O deputado republicano Adam Kinzinger fez referência ao discurso de Trump sobre eventuais fraudes e criticou a divulgação de notícias falsas. "Queremos que todos os votos sejam contados, sim, todos os votos legais (é claro). Mas, se houver dúvidas legítimas sobre fraude, apresente evidências e leve-as ao tribunal. Pare de espalhar desinformação que já foi desmentida... Isso está ficando insano", escreveu o político, eleito pelo Estado de Illinois.

Senador republicano e ex-candidato à Presidência pelo partido, Mitt Romney tentou baixar os ânimos do eleitorado. "Contar todos os votos está no coração da democracia. Esse processo costuma ser longo e, para quem está em concorrendo, frustrante", disse o republicano de Utah, que tem histórico de desavenças com Trump.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247