Rússia chama de ato hostil decisão dos EUA de fornecer armas a rebeldes sírios

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia, comandado por Sergey Lavrov, disse nesta terça-feira que viu a decisão dos Estados Unidos de flexibilizar restrições ao fornecimento de armas aos rebeldes sírios como um "ato hostil" que ameaça a segurança dos aviões de combate e de militares russos, disse a agência de notícias RIA.

Russian Foreign Minister Sergei Lavrov takes part in a news conference in Moscow March 8, 2014. Lavrov said on Saturday the Ukrainian government was taking orders from extremists and denied Moscow had any direct role in the crisis in Crimea.  REUTERS/Serg
Russian Foreign Minister Sergei Lavrov takes part in a news conference in Moscow March 8, 2014. Lavrov said on Saturday the Ukrainian government was taking orders from extremists and denied Moscow had any direct role in the crisis in Crimea. REUTERS/Serg (Foto: Leonardo Attuch)

MOSCOU (Reuters) - O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse nesta terça-feira que viu a decisão dos Estados Unidos de flexibilizar restrições ao fornecimento de armas aos rebeldes sírios como um "ato hostil" que ameaça a segurança dos aviões de combate e de militares russos, disse a agência de notícias RIA.

Segundo a agência, o ministério disse que o governo do presidente norte-americano, Barack Obama, está tentando complicar a situação do mundo antes do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, tomar posse em janeiro.

Obama revogou algumas restrições às entregas de armas a rebeldes sírios neste mês.

A Rússia, cuja Força Aérea está apoiando o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad, disse que a medida é arriscada e que as armas podem acabar nas mãos de "terroristas".

(Reportagem de Peter Hobson)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247