Rússia expulsa diplomatas dos Estados Unidos em retaliação

Segundo a agência Tass, a medida é uma resposta à expulsão de 12 representantes russos da missão nas Nações Unidas em Nova York, no início de março

www.brasil247.com - Presidentes Vladimir Putin (Rússia) e Joe Biden (EUA)
Presidentes Vladimir Putin (Rússia) e Joe Biden (EUA) (Foto: Reuters)


247, com ANSA - O Ministério das Relações Exteriores da Rússia entregou nesta quarta-feira (23) à embaixada dos Estados Unidos em Moscou uma lista de diplomatas americanos que foram declarados "persona non grata" e serão expulsos do país.

A informação foi divulgada pela agência russa Tass, citando o governo de Vladimir Putin, que alega que a medida é uma resposta à expulsão de 12 representantes russos da missão nas Nações Unidas em Nova York, no início de março.

"Em 23 de março, uma lista de diplomatas americanos declarados 'persona non grata' foi entregue ao chefe da missão diplomática americana, que foi convocado ao Ministério das Relações Exteriores da Rússia", disse um comunicado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo a chancelaria russa, "a parte americana foi avisada, de maneira firme, que qualquer ação hostil dos EUA contra a Rússia receberá uma resposta decisiva e apropriada".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Até o momento, não há detalhes sobre a identidade e o número exato de diplomatas que foram expulsos pelo governo russo. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Polônia

O Ministério do Interior da Polônia disse nesta quarta que 45 diplomatas russos foram identificados como trabalhando na Polônia como espiões e foram expulsos.

Em sua conta no Twitter, o ministro do Interior polonês Mariusz Kaminski disse: “A Polônia expulsou 45 espiões russos fingindo ser diplomatas. Com total consistência e determinação, estamos separando os agentes dos serviços secretos russos em nosso país”.

O embaixador russo na Polônia, Sergey Andreyev, rechaçou a nota:

"Recebi uma nota do Ministério das Relações Exteriores [polonês] sobre a expulsão de 45 nossos funcionários - embaixada, missão comercial - devido a atividades que não cumprem a Convenção de Viena", disse ele a repórteres após sua visita ao Ministério das Relações Exteriores na quarta-feira, conforme a agência Tass.

De acordo com Andreyev, "não há motivos para isso".

"Nossos funcionários têm feito um trabalho diplomático e comercial normal", disse o enviado. "Não há fundamento para tais acusações".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email