CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mundo

Rússia mata 11 militantes que juraram lealdade ao Estado Islâmico

Serviços de segurança russos mataram 11 militantes islâmicos que haviam ajudado a contrabandear combatentes através das fronteiras para a Síria para se juntar ao Estado Islâmico, disse a comissão anti-terrorismo do país; órgão disse que os militantes estavam escondidos numa base fortificada em área montanhosa da República da Cabárdia-Balcária, no sul da Rússia, perto da cidade de Nalchik

Serviços de segurança russos mataram 11 militantes islâmicos que haviam ajudado a contrabandear combatentes através das fronteiras para a Síria para se juntar ao Estado Islâmico, disse a comissão anti-terrorismo do país; órgão disse que os militantes estavam escondidos numa base fortificada em área montanhosa da República da Cabárdia-Balcária, no sul da Rússia, perto da cidade de Nalchik (Foto: José Barbacena)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Reuters - Serviços de segurança russos mataram 11 militantes islâmicos que haviam ajudado a contrabandear combatentes através das fronteiras para a Síria para se juntar ao Estado Islâmico, disse a comissão anti-terrorismo do país.

O órgão disse que os militantes estavam escondidos em uma base fortificada em uma área montanhosa da República da Cabárdia-Balcária, no sul da Rússia, perto da cidade de Nalchik.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"O grupo armado organizou canais para os moradores da república serem enviados para o território da República Árabe Síria para que pudessem participar de atividades de grupos terroristas", disse o comitê anti-terrorismo em comunicado.

A Rússia começou uma campanha de bombardeio em larga escala contra alvos na Síria em 30 de setembro, que Moscou diz ser focada em militantes do Estado Islâmico, mas críticos dizem ter como alvo uma banda mais ampla de opositores do aliado de Moscou, o presidente sírio, Bashar al-Assad.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O foco no Estado Islâmico intensificou-se desde que um avião russo foi derrubado por uma bomba sobre a península do Sinai, no Egito, com a perda de mais de 200 vidas. O grupo diz que plantou a bomba como uma resposta às ações da Força Aérea Russa e previu mais ataques contra a Rússia.

O comitê anti-terrorismo disse que os militantes também estavam preparando uma série de ataques na região do Norte do Cáucaso.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO