Rússia rechaça acusações dos EUA sobre tratado de armas nucleares

A Rússia voltou a dizer na quarta-feira (19) que repudia as acusações dos Estados Unidos sobre uma suposta violação do Tratado de Armas Nucleares de médio e curto alcance (INF); em cinco anos de discussões sobre o cumprimento do INF, Washington foi incapaz de apresentar pelo menos uma prova confiável de sua suposta violação pela Rússia, declarou o vice-ministro russo de Assuntos Exteriores, Serguei Riabkov

Rússia rechaça acusações dos EUA sobre tratado de armas nucleares
Rússia rechaça acusações dos EUA sobre tratado de armas nucleares

247, com Prensa Latina - A Rússia reiterou na quarta-feira (19) seu repúdio às acusações dos Estados Unidos sobre uma suposta violação do Tratado de Armas Nucleares de médio e curto alcance (INF).

Em cinco anos de discussões sobre o cumprimento do INF, Washington foi incapaz de apresentar pelo menos uma prova confiável de sua suposta violação pela Rússia, declarou o vice-ministro russo de Assuntos Exteriores, Serguei Riabkov.

Também não recebemos resposta alguma à iniciativa formulada por nosso ministro de Defesa, Serguei Shoigu, ao chefe do Pentágono, James Mattis, para uma análise desse assunto ao nível de especialistas militares, assinalou Riabkov.

A Rússia não fabricou nem testou mísseis que possam ser enquadrados nos parâmetros estabelecidos no INF, isto é, entre 500 e 5.500 quilômetros, e isso inclui o novo míssil alado russo 9M729, que possui um alcance de 480 quilômetros, explicou ao diário Kommersant.

No entanto, Washington assinala, sem prova alguma, que os referidos foguetes alados podem atingir uma distância maior, se for abastecido com o devido combustível, algo que Moscou considera totalmente absurdo.

A Rússia acusa os Estados Unidos de violarem o acordo assinado em 1987. Ontem, o presidente Vladimir Putin recordou que o Pentágono criou os sistemas Aegis, os quais, baseados em navios de combate podem lançar mísseis de médio alcance.

Todavia, denunciou Putin, os Aegis em sua versão terrestre são estabelecidos na Romênia e Polônia com o anunciado propósito de ser parte do sistema de defesa antimíssil norte-americano na Europa, ainda que isso viole diretamente o estipulado no INF.

O Kremlin recusou o ultimato anunciado na semana passada pelo secretário norte-americano de Estado, Michael Pompeo, que dá 60 dias à Rússia para seu suposto regresso ao cumprimento do mencionado acordo.

A Rússia denunciou que em um primeiro momento a Casa Branca informou sobre sua saída unilateral do INF, mas agora procura justificar o abandono do acordo com a suposta violação desse tratado por parte da Rússia.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247