Rússia veta resolução dos EUA na ONU para abrir inquérito sobre armas químicas na Síria

A Rússia, presidida por Vladimir Putin, vetou no Conselho de Segurança na Organização das Nações Unidas (ONU) um projeto dos Estados Unidos para criar um novo mecanismo de investigação para analisar ataques químicos na Síria; a resolução foi apoiada por 12 países, mas Rússia e Bolívia votaram contra e a China se absteve; é a 12° vez que Moscou usa seu poder de veto para proteger o governo sírio


A Rússia, presidida por Vladimir Putin, vetou no Conselho de Segurança na Organização das Nações Unidas (ONU) um projeto dos Estados Unidos para criar um novo mecanismo de investigação para analisar ataques químicos na Síria; a resolução foi apoiada por 12 países, mas Rússia e Bolívia votaram contra e a China se absteve; é a 12° vez que Moscou usa seu poder de veto para proteger o governo sírio
A Rússia, presidida por Vladimir Putin, vetou no Conselho de Segurança na Organização das Nações Unidas (ONU) um projeto dos Estados Unidos para criar um novo mecanismo de investigação para analisar ataques químicos na Síria; a resolução foi apoiada por 12 países, mas Rússia e Bolívia votaram contra e a China se absteve; é a 12° vez que Moscou usa seu poder de veto para proteger o governo sírio (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Sputnik - A Rússia vetou nesta terça-feira (10) no Conselho de Segurança na Organização das Nações Unidas (ONU) um projeto dos Estados Unidos para criar um novo mecanismo de investigação para analisar ataques químicos na Síria.

A resolução foi apoiada por 12 países, mas Rússia e Bolívia votaram contra e a China se absteve.

A ministra dos Assuntos Europeus francesa, Nathalie Loiseau, afirmou que "não há dúvidas" de que o incidente registrado na Síria durante o final de semana foi um "ataque químico".

Os Estados Unidos também acusam Bashar Assad de usar armas químicas contra sua própria população — o que a Rússia nega que tenha ocorrido. 

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou na segunda-feira (9), que dará uma resposta até este fim de semana e que todas as opções estão sendo analisadas.

É a 12° vez que Moscou usa seu poder de veto para proteger o governo sírio. 

O embaixador russo na ONU, Vasili Nebenzia, afirmou antes da votação que a iniciativa dos EUA não garante uma investigação independente. Nebenzia também disse que os EUA planejaram que o recurso falhasse para "justificar o uso de força na Síria".

O representante russo na ONU falou sobre a possibilidade de Washington tomar alguma medida militar na Síria:

"Se vocês tomarem a decisão de realizar uma aventura militar ilegal — e eu espero que vocês recuperem o juízo — bem, então vocês terão que assumir a responsabilidade para si mesmos", disse Nebenzia.

O conselho de Segurança da ONU também não aprovou uma proposta russa para criar um órgão para investigar o possível ataque químico.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247