Saiba quem foi o pai de Michele Bachelet, cujo assassinato foi defendido por Bolsonaro

Nesta quarta-feira (4) Bolsonaro disparou novos ataques, desta vez, defendendo a tortura e morte de Alberto Bachelet, pai da ex-presidente Michelle Bachelet, que foi assassinado a mando do ditador Augusto Pinochet por se opôr ao regime ditatorial que derrubou Salvador Allende

Jair Bolsonaro ataca pai de Michelle Bachelet
Jair Bolsonaro ataca pai de Michelle Bachelet

247 - Nesta quarta-feira (4) Bolsonaro disparou novos ataques, desta vez, defendendo a tortura e morte de Alberto Bachelet, pai da ex-presidente Michelle Bachelet, que foi assassinado a mando do ditador Augusto Pinochet, por se opôr ao regime ditatorial que derrubou Salvador Allende.

Ele foi preso e torturado pelo regime do ditador chileno Augusto Pinochet em 1973 e morreu um ano depois, em 1974, em uma prisão da ditadura. Ele tinha 50 anos e sofreu um ataque cardíaco após ter sido submetido a sucessivas torturas físicas e psicológicas.

Alberto Bachelet era brigadeiro-general da Força Aérea chilena. Ligado ao presidente Salvador Allende, ele se opôs ao golpe dado por Pinochet, ao contrário de outros oficiais chilenos.

Em 2014, dois ex-militares chilenos foram condenados pela Justiça do país por torturar e causar a morte de Alberto. Eles haviam sido colegas do general dentro das Forças Armadas.

"Me quebraram por dentro, em um momento, me quebraram moralmente —nunca soube odiar ninguém— sempre pensei que o ser humano é a coisa mais maravilhosa desta criação e deve ser respeitado por isso, mas me encontrei com camaradas das Forças Armadas que conheço há 20 anos, meus alunos, que me trataram como um delinquente ou como um cachorro", escreveu, da prisão, o general Alberto à sua família.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247