Se eleito, Joe Biden pode colocar pressão inédita contra Bolsonaro por Amazônia

De acordo com o professor de Relações Internacionais Vinicius Rodrigues Vieira, propostas sobre relações exteriores costumam render votos entre os americanos. "A pressão vai cair nas nossas costas", disse ele, ao comentar declarações de Joe Biden de que o Brasil seria um dos afetados com sanções econômicas devido à destruição amazônica

Joe Biden e Jair Bolsonaro
Joe Biden e Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Candidato a presidente dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, Joe Biden propôs um fundo de US$ 2 trilhões (R$ 11 trilhões) contra a crise climática. Em setembro, ele sinalizou que o Brasil seria um dos afetados com sanções econômicas devido à destruição amazônica, durante debate contra o presidente Donald Trump (Partido Republicano), concorrente a mais um mandato na Casa Branca. 

De acordo com  o professor de Relações Internacionais da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) Vinicius Rodrigues Vieira, propostas sobre relações exteriores costumam render votos entre os americanos. "A pressão vai cair nas nossas costas", disse em entrevista ao portal Uol

O estudioso afirmou não ter "lembrança de uma sugestão similar, relacionada ao meio ambiente, como o que foi falado por Joe Biden". "Fazer pressão com sanções é mais comum entre países europeus. Tanto foi que o Bolsonaro reagiu e disse que não aceitaria uma espécie de suborno", acrescentou. 

"Ele é progressista mas, de forma geral, diria que é um realista e nunca é taxativo sobre um assunto", explica o professor de relações internacionais Rodrigo Fernando Gallo. "Não gosto de dizer que nos Estados Unidos a direita e a esquerda são como no Brasil. Há grupos conservadores e progressistas entre os dois partidos; a agenda ambiental pode abraçar, então, as agendas de esquerda e direita", a

"Ele é progressista mas, de forma geral, diria que é um realista e nunca é taxativo sobre um assunto", explica o professor de relações internacionais Rodrigo Fernando Gallo. "Não gosto de dizer que nos Estados Unidos a direita e a esquerda são como no Brasil. Há grupos conservadores e progressistas entre os dois partidos; a agenda ambiental pode abraçar, então, as agendas de esquerda e direita", complementou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247