Secretário-geral da OEA reafirma que não aceitará novo mandato de brasileiro na comissão de direitos humanos

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luís Almagro, reafirmou que não aceitará um novo mandato do brasileiro Paulo Abrão na Secretaria Executiva da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH). A decisão gerou protestos da própria CIDH

(Foto: Juan Manuel Herrera/OAS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Através de uma nota emitida na sexta-feira (28), o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luís Almagro, reafirmou que não aceitará um novo mandato do brasileiro Paulo Abrão na Secretaria Executiva da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH). A reportagem é do jornal O Globo.

“Eu reitero que de maneira alguma irei incorporar ou reincorporar um indivíduo que enfrenta 61 acusações pendentes”, disse Almagro no comunicado. “Para além da presunção de inocência, está ignorar a seriedade dessas denúncias", acrescentou, referindo-se a um relatório sigiloso elaborado pela ombudsperson da OEA, Neida Pérez.

Paulo Abrão presidiu a Comissão da Anistia durante os governos de Lula e Dilma Rousseff.

A decisão gerou protestos da própria CIDH, de dezenas de organizações internacionais de defesa dos direitos humanos. Responsável pela medida adotada, Almagro tem forte apoio de Jair Bolsonaro e de governos de direita. Criada há 61 anos, a CIDH é responsável por monitorar o respeito aos direitos humanos nas Américas.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247