Segundo porta-aviões americano chega ao Golfo Pérsico

Apoiado por um destroier com quase 80 avies e helicpteros a bordo, o USS Carl Vinson foi chamado em um movimento de rotina, segundo os EUA. Por outro lado, ameaa de fechamento de rota de petrleo chave pelo Ir elevou as tenses com o Ocidente

Segundo porta-aviões americano chega ao Golfo Pérsico
Segundo porta-aviões americano chega ao Golfo Pérsico (Foto: Tyrone Siu/REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Um segundo porta-aviões dos EUA, o USS Carl Vinson, chegou ao Golfo Pérsico, informou ontem à noite o Pentágono, classificando o movimento de "rotina" e negando qualquer ligação com o aumento das tensões com o Irã na região.

Apoiado por um cruzador e por um destroier com quase 80 aviões e helicópteros a bordo, o USS Carl Vinson "chegou à área de responsabilidade da 5ª Frota dos EUA" em 9 de janeiro, informou a 5ª Frota. Essa área abrange o Golfo Pérsico, o Mar Vermelho, o Golfo de Omã e partes do Oceano Índico.

Contudo, o porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse que o Carl Vinson não tinha atravessado o Estreito de Ormuz - uma rota de petróleo chave que o Irã ameaçou fechar, elevando as tensões com o Ocidente. O Carl Vinson foi chamado para aliviar o trabalho de outro porta-aviões, o USS John Stennis, que está na região, disse Kirby.

"Sua implantação nessa área é de rotina, há muito planejada - não há nada de estranho nisso", afirmou Kirby. "O fato de que existem dois porta-aviões naquela área não é uma indicação de algo específico em relação ao Irã", continuou o porta-voz. "Não há mudança de postura na força na região."

Apesar dos desmentidos do Pentágono de um acúmulo de força militar no Golfo Pérsico, o USS Abraham Lincoln está no Oceano Índico e em rota para se juntar ao Carl Vinson, de acordo com a Marinha dos EUA.

A confrontação internacional em relação ao programa nuclear do Irã tornou-se mais tensa, com ameaças cada vez mais apoiadas com exibições de poderio militar de ambos os lados.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email