Síria acusa coalizão liderada pelos EUA de bombardeios em apoio ao EI

O comando geral do Exército da Síria disse que aviões da coalizão liderada pelos EUA bombardearam uma posição do Exército sírio em Jebel Tharda perto do aeroporto de Deir al-Zor, abrindo caminho para que os combatentes do EI tomem o local; o ataque aéreo matou soldados sírios e é "prova conclusiva" de que os EUA e seus aliados apoiam o grupo jihadista, disse o Exército sírio em um comunicado, ressaltando que o ataque é uma "perigosa e flagrante agressão"; Síria é comandada pelo ditador Bashar al-Assad

O comando geral do Exército da Síria disse que aviões da coalizão liderada pelos EUA bombardearam uma posição do Exército sírio em Jebel Tharda perto do aeroporto de Deir al-Zor, abrindo caminho para que os combatentes do EI tomem o local; o ataque aéreo matou soldados sírios e é "prova conclusiva" de que os EUA e seus aliados apoiam o grupo jihadista, disse o Exército sírio em um comunicado, ressaltando que o ataque é uma "perigosa e flagrante agressão"; Síria é comandada pelo ditador Bashar al-Assad
O comando geral do Exército da Síria disse que aviões da coalizão liderada pelos EUA bombardearam uma posição do Exército sírio em Jebel Tharda perto do aeroporto de Deir al-Zor, abrindo caminho para que os combatentes do EI tomem o local; o ataque aéreo matou soldados sírios e é "prova conclusiva" de que os EUA e seus aliados apoiam o grupo jihadista, disse o Exército sírio em um comunicado, ressaltando que o ataque é uma "perigosa e flagrante agressão"; Síria é comandada pelo ditador Bashar al-Assad (Foto: Leonardo Lucena)

BEIRUTE (Reuters) - O comando geral do Exército da Síria disse que aviões da coalizão liderada pelos Estados Unidos bombardearam uma posição do Exército sírio em Jebel Tharda perto do aeroporto de Deir al-Zor, no sábado, abrindo caminho para que os combatentes do Estado Islâmico tomem o local.

O ataque aéreo matou soldados sírios e é "prova conclusiva" de que os EUA e seus aliados apoiam o grupo jihadista, disse o Exército sírio em um comunicado, ressaltando que o ataque é uma "perigosa e flagrante agressão".

A coalizão liderada pelos EUA vem realizando ataques aéreos contra o Estado Islâmico desde setembro de 2014. Em dezembro, o governo de Damasco acusou a coalizão de atacar um acampamento do Exército perto de Deir al-Zor, mas Washington disse que o ataque foi feito por jatos russos.

Os EUA disseram no sábado que levaram a cabo um ataque em Deir al-Zor contra cinco rotas de abastecimento do Estado islâmico, assim como outros ataques perto de Raqqa e em outros lugares na Síria.

Exército da Síria controla aeroporto de Deir al-Zor e partes da cidade que está, de outra forma, totalmente cercada por território mantido pelo Estado Islâmico.

Os Estados Unidos e a Rússia chegaram a um acordo sobre a Síria na semana passada, que envolve um cessar-fogo que entrou em vigor na segunda-feira, a entrega de ajuda humanitária a áreas sitiadas e uma eventual ação conjunta contra grupos jihadistas militantes se a trégua for mantida.

A guerra civil de cinco anos na Síria entre o presidente Bashar al-Assad e os rebeldes que procuram derrubá-lo atraiu as potências regionais e globais e permitiu que grupos jihadistas militantes, incluindo o Estado Islâmico, ganhassem território.

(Por Angus McDowall)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247