Suíça impõe sanções à Venezuela e congela bens de altos dirigentes do país

O governo da Suíça promulgou sanções contra a Venezuela, país presidido por Nicolás Maduro, e congelou os fundos de sete ministros e altos funcionários venezuelanos "por causa das violações aos direitos humanos e à deterioração do estado de direito e das instituições democráticas" no País; também foram congelados os bens de empresas e instituições venezuelanas que o comunicado também não nomeia

O governo da Suíça promulgou sanções contra a Venezuela, país presidido por Nicolás Maduro, e congelou os fundos de sete ministros e altos funcionários venezuelanos "por causa das violações aos direitos humanos e à deterioração do estado de direito e das instituições democráticas" no País; também foram congelados os bens de empresas e instituições venezuelanas que o comunicado também não nomeia
O governo da Suíça promulgou sanções contra a Venezuela, país presidido por Nicolás Maduro, e congelou os fundos de sete ministros e altos funcionários venezuelanos "por causa das violações aos direitos humanos e à deterioração do estado de direito e das instituições democráticas" no País; também foram congelados os bens de empresas e instituições venezuelanas que o comunicado também não nomeia (Foto: Leonardo Lucena)

Da Agência EFE

O governo da Suíça promulgou nesta quarta-feira (28) sanções contra a Venezuela e congelou os fundos de sete ministros e altos funcionários venezuelanos "por causa das violações aos direitos humanos e à deterioração do estado de direito e das instituições democráticas" no país. 

As sanções, que já começaram a valer a partir de hoje, seguem assim as sanções impostas contra a Venezuela pela União Europeia, informou o Executivo suíço em comunicado.  Concretamente, o Conselho Federal da Suíça congelou fundos de sete ministros e ocupantes de altos cargos da Venezuela, que ficam proibidos de entrar na Suíça, embora o comunicado não especifique quem são.

Também foram congelados os bens de empresas e instituições venezuelanas que o comunicado também não nomeia. Além disso, o Conselho Federal estabeleceu um embargo que proíbe a venda, a exportação e o trânsito de equipamentos militares e os bens "suscetíveis de ser usados com fins repressivos". Além disso, está proibida a venda de equipamentos e tecnologias que possam servir para vigilância ou para interceptar comunicações telefônicas ou de internet.

O texto especifica que o governo da Suíça está "gravemente preocupado com as violações repetidas das liberdades individuais dos venezuelanos, onde o princípio da separação de poderes é severamente afetado e onde o processo para as próximas eleições sofre um forte déficit de legitimidade".

O Executivo suíço apela à Venezuela a "restaurar a integridade do processo eleitoral e a promover um espaço democrático inclusivo e plenamente respeitoso de seu marco constitucional e legal e de suas obrigações internacionais".

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Mundo

EUA ativam tratado TIAR contra Venezuela

Os Estados Unidos e países satélites membros da Organização de Estados Americanos (OES) invocaram o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR) contra a Venezuela nesta terça-feira (17).

Ao vivo na TV 247 Youtube 247