Suu Kyi, líder política de Mianmar, pede ao povo que se oponha ao golpe militar

Por meio de uma conta no Facebook, o partido Liga Nacional para a Democracia (NLD) de Mianmar publicou nesta segunda-feira (1º/2) uma declaração em nome da líder detida Aung San Suu Kyi, dizendo que as pessoas não deveriam aceitar um golpe militar e deveriam protestar

Aung San Suu Kyi
Aung San Suu Kyi (Foto: REUTERS/Damir Sagolj)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Suu Kyi, líder política de Mianmar, que se encontra presa, conclamou o povo a resistir al golpe militar. O partido Liga Nacional para a Democracia emitiu declaração condenando o golpe e pedindo ao povo para resistir.

"As ações dos militares visam colocar o país novamente sob a ditadura”, disse o comunicado, que traz o nome da líder Suu Kyi, embora não sua assinatura.

“Peço às pessoas que não aceitem isso, respondam e protestem de todo o coração contra o golpe dos militares.”

A declaração foi emitida pelo presidente do partido, Win Htein, que em uma nota manuscrita na parte inferior enfatizou que era autêntica e refletia os desejos de Suu Kyi.

“Eu juro pela minha vida que este pedido ao povo é a declaração genuína de Aung San Suu Kyi”, escreveu Win Htein, informa a Reuters.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email