Trabalhadores do Google anunciam criação de sindicato, 22 anos depois da fundação da empresa

Mais de 200 trabalhadores do Google anunciaram na segunda-feira (4), a criação de um sindicato, um fato inédito em uma grande empresa de tecnologia. Empresa foi fundada há 22 anos e até hoje impede a organização de seus trabalhadores e trabalhadoras

(Foto: Reuters | Reprodução/Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Alphabet Workers Union está sendo lançado com o apoio dos Communications Workers of America. É o primeiro esforço para estabelecer um sindicato no Google. Empresa foi fundada há 22 anos e até hoje impede a organização de seus trabalhadores e trabalhadoras

“Isso é histórico - o primeiro sindicato em uma grande empresa de tecnologia por e para todos os trabalhadores de tecnologia”, disse Dylan Baker, engenheiro de software do Google, em um comunicado.

“Elegeremos representantes, tomaremos decisões democraticamente, pagaremos taxas e contrataremos organizadores qualificados para garantir que todos os funcionários do Google saibam que podem trabalhar conosco se realmente quiserem que sua empresa reflita seus valores.”

Os funcionários do Google têm algum histórico de ação coletiva. Em 2018, milhares de trabalhadores assinaram uma petição protestando contra o Projeto Maven, um contrato para ajudar o Departamento de Defesa a rastrear indivíduos em imagens de vídeo capturadas por drones. Essa campanha de pressão acabou tendo sucesso, pois o contrato foi rescindido.

Mais tarde naquele ano, o Google anunciou que encerraria sua prática de arbitragem forçada depois que 20.000 trabalhadores fizeram uma greve crítica ao tratamento da empresa em relação à má conduta sexual.

Nos últimos meses, a empresa também foi criticada pela demissão de Timnit Gebru, uma importante pesquisadora de inteligência artificial do Google e uma das poucas mulheres negras na área. Milhares de funcionários do Google assinaram uma petição protestando contra sua saída.

O National Labor Relations Board no mês passado culpou o Google pela demissão ilegal de dois trabalhadores que estavam se organizando contra a contratação de uma notória firma de combate ao sindicato.

O sindicato tem várias tarefas importantes pela frente. Obter apoio de 120.000 trabalhadores da empresa é um desafio. Além disso, o Google pode não reconhecer o sindicato voluntariamente, devido ao seu histórico de impedir a organização dos trabalhadores, informa o site The Hill.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email