Trump anuncia que assinará sanções à Rússia e atrai retaliação de Moscou

A Casa Branca informou que Donald Trump irá assinar novas sanções à Rússia, aprovadas pelo Senado; movimento acontece após Moscou ordenar um corte de centenas de postos diplomáticos nos EUA e dizer que vai confiscar duas propriedades diplomáticas dos EUA em retaliação à aprovação das imposições

Trump vs Putin
Trump vs Putin (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai assinar uma lei que impõe sanções à Rússia, disse a Casa Branca na sexta-feira, após Moscou ordenar um corte de centenas de postos diplomáticos nos EUA e dizer que vai confiscar duas propriedades diplomáticas dos EUA em retaliação.

O Senado dos EUA votou quase por unanimidade na quinta-feira por novas sanções contra a Rússia, forçando Trump a escolher entre uma posição mais dura contra Moscou e efetivamente acabar com suas esperanças de laços amigáveis com o país ou a vetar o projeto de lei, que vem em meio a investigações sobre um conluio entre sua campanha e a Rússia.

Ao assinar o projeto e torná-lo lei, Trump não poderá aliviar as sanções contra a Rússia a não ser que obtenha aprovação do Congresso.

A retaliação de Moscou, anunciada pelo Ministério de Relações Exteriores na sexta-feira, teve ecos de Guerra Fria. Se confirmado o movimento da Rússia, ele afetaria centenas de cargos embaixada dos EUA e seria mais pesado que a expulsão por Obama de 35 russos em dezembro.

A legislação é em parte uma resposta a conclusões de serviços de inteligência norte-americanos de que a Rússia interferiu nas eleições presidenciais do país em 2016, além de uma punição adicional à Rússia por ter anexado a Crimeia em 2014.

Na noite de sexta-feira, a Casa Branca emitiu um comunicado dizendo que Trump vai assinar a lei após revisar sua versão final. O comunicado não fez referência às medidas de retaliação da Rússia.

A Rússia vinha ameaçando as retaliações há semanas, e sua resposta sugere que o país deixou de lado esperanças iniciais de melhores relações com Washington sob a administração Trump.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247