Trump junta-se a governos autoritários para assinar declaração antiaborto

Os Estados Unidos juntaram-se a mais de 30 países e assinaram uma declaração internacional antiaborto. O documento também foi co-patrocinado por Brasil, Egipto, Hungria, Indonésia e Uganda

Presidente dos EUA, Donald Trump
Presidente dos EUA, Donald Trump (Foto: REUTERS/Jonathan Ernst)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os Estados Unidos juntaram-se a mais de 30 países e assinaram uma declaração internacional antiaborto. "Sob a liderança do Presidente Trump, os Estados Unidos têm defendido a dignidade da vida humana, sempre e em todos o lado", afirmou o secretário de Estado, Mike Pompeo.

De acordo com o dirigente, "não existe direito internacional ao aborto nem nenhuma obrigação internacional por parte dos Estados para financiarem ou facilitarem o aborto".

O documento também foi co-patrocinado por Brasil, Egipto, Hungria, Indonésia e Uganda. Os relatos foram publicados pelo jornal Publico, de Portugal

“Sem dúvida que trará problema às pessoas LGBTI e reverterá o consenso global estabelecido sobre a necessidade de proteger a saúde sexual e reprodutiva e os direitos das mulheres e jovens em toda a sua diversidade”, disse David Stacy, director da Human Rights Campagin, em entrevista ao Washington Post.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247