Trump reforça discurso de direita, ataca Biden como destruidor dos EUA e aponta a China como adversária

Donald Trump fez o discurso de aceitação de sua candidatura à reeleição ao encerrar a convenção do Partido Republicano elevando a agressividade do discurso de extrema direita e atacando seu adversário, o democrata Joe Biden como destruidor do país. Trump enfatizou em seu discurso que considera a China o principal adversário dos Estados Unidos no plano global

Presidente dos EUA, Donald Trump
Presidente dos EUA, Donald Trump (Foto: REUTERS/Tom Brenner)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A polarização da campanha eleitoral dos Estados Unidos ficou bem nítida no discurso de Donald Trump. Agressivo, ele demonstrou que fará um governo ainda mais à direita. Definiu o adversário democrata Joe Biden como uma ameaça aos EUA que pode destruir os empregos e a "grandeza" americana caso vença em novembro.

Para Trump, a eleição deste ano é a "mais importante da história" porque decidirá sobre o "futuro do sonho americano."

Trump disse que Biden é fraco e que passou boa parte do seu mandato revertendo os danos que Biden causou ao país nos últimos 47, referindo-se ao tempo em que seu adversário está na vida pública. 

O discurso de Trump consolidou a mensagem que esteve presente em toda a convenção republicana desde a segunda-feira, quando foi instalada, a de que a eleição de novembro é uma escolha entre a manutenção dos valores conservadores americanos e a violência e o vandalismo que, segundo Trump, invadiriam o país sob os democratas. Foi forte o discurso de "restauração" da lei e da ordem. O candidato à reeleição insiste na tese de que Biden coloca em risco a segurança dos americanos, acusando-o de que se eleito o democrata iria tirar dinheiro da polícia, uma reivindicação dos movimentos antirracistas, informa a Folha de S.Paulo

Trump reforçou o clima de luta contra a China, ao afirmar que a agenda de Biden é made in China, enquanto a sua é made EUA. "A China seria dona do nosso país se Biden fosse eleito", disse Trump. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247