Ucrânia desliga gás com destino à Europa

Kiev cita 'força maior' para interromper um terço do fluxo de gás russo em trânsito para a Europa, enquanto a Gazprom diz que não houve problemas que justifiquem a mudança

www.brasil247.com -
(Foto: REUTERS/Wojciech Kardas/Agencja Gazeta)


Do RT - O conglomerado de gás russo Gazprom não recebeu confirmação de força maior ou quaisquer obstáculos ao trânsito contínuo de gás através de um entroncamento na região de Lugansk, disse a empresa na terça-feira, depois que a operadora ucraniana OGTSU anunciou que interromperia mais entregas a partir de 11 de maio, devido à presença dos “ocupantes russos”.

Os Serviços de Trânsito de Gás da Ucrânia (OGTSU) declararam força maior na terça-feira, dizendo que era impossível continuar o trânsito de gás através de um ponto de conexão e estação de compressão localizada na área de Lugansk. Como o pessoal da OGTSU “não pode realizar o controle operacional e tecnológico” sobre o ponto de conexão Sokhranovka e a estação de compressão de Novopskov, a empresa não pode continuar cumprindo suas obrigações contratuais, disse. 

O gás desta conexão não será aceito no sistema de trânsito da Ucrânia a partir das 7h de quarta-feira, disse a OGTSU. A Sokhrankovka responde por quase um terço do gás russo que transita pela Ucrânia para a Europa – até 32,6 milhões de metros cúbicos por dia – segundo as operadoras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Gazprom não recebeu confirmação de força maior ou interrupção das operações em Sokhranovka ou Novopskov, disse o porta-voz da empresa, Sergey Kupriyanov, nesta terça-feira. Ele acrescentou que os especialistas ucranianos tiveram acesso total a ambas as instalações o tempo todo, e não houve reclamações sobre isso anteriormente. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Kupriyanov também disse que a Gazprom foi notificada pela empresa de gás da Ucrânia Naftogaz que, se a Rússia continuar fornecendo gás através da Sokhranovka, Kiev reduzirá o volume no ponto de saída na mesma quantidade, confiscando efetivamente o gás.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Embora a OGTSU tenha proposto redirecionar o gás para Sudzha, um conector localizado na região de Sumy e controlado pelo governo ucraniano, Kupriyanov disse que isso era “tecnologicamente impossível”. 

“A distribuição de volumes está claramente definida no acordo de cooperação datado de 30 de dezembro de 2019, e o lado ucraniano está bem ciente disso” , disse ele.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Gazprom está cumprindo todas as suas obrigações com seus clientes europeus, com todos os serviços de trânsito de acordo com os termos do contrato e pagos integralmente, destacou Kupriyanov. Moscou continuou entregando gás para a Europa, incluindo trânsito pela Ucrânia, independentemente da operação militar em andamento e dos embargos contra a Rússia impostos pelos EUA e seus aliados na UE. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email