Venezuela repudia expulsão de seus diplomatas e diz que Bolsonaro fez do Brasil epicentro do coronavírus na AL

O governo venezuelano rechaçou a decisão do governo brasileiro, que ordenou a expulsão de 34 funcionários diplomáticos venezuelanos do Brasil. A nota, além de criticar o enfrentamento "negativo" do governo brasileiro ao covid-19, também alerta que Bolsonaro fere tratados internacionais

Governo Bolsonaro agride a Venezuela e remove diplomatas do governo Maduro.
Governo Bolsonaro agride a Venezuela e remove diplomatas do governo Maduro. (Foto: Reuters | PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em comunicado oficial publicado nesta quinta-feira (30), o governo venezuelano rechaçou a decisão do governo brasileiro, que ordenou que os 34 funcionários diplomáticos venezuelanos devem abandonar suas sedes e regressar à Venezuela. O governo Maduro afirmou que  “o pessoal diplomático e consular da Venezuela no Brasil não abandonará suas funções sob subterfúgios fora da lei internacional”. 

O governo venezuelano denuncia que “a pressão indevida exercida pelo Governo brasileiro, forçando a partida prematura do pessoal diplomático e consular da Venezuela". Com a expulsão do corpo diplomático venezuelano, “Bolsonaro agora pretende acrescentar negligência à comunidade venezuelana no Brasil”, denuncia o corpo diplomático de Nicolàs Maduro.

O comunicado também classifica as atitudes de Bolsonaro no enfrentamento ao covid-19 como “negativas” e diz que tal postura coloca o Brasil hoje como epicentro de propagação do vírus na América Latina. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247