Vice-ministro italiano faz greve de fome por direitos de casais gays

Vice-ministro italiano para relações com o parlamento, Ivan Scalfarotto, anunciou que está em greve de fome desde a última segunda-feira para pressionar a Itália a aprovar a união civil para casais homossexuais; projeto de lei, que já foi aprovado pelo primeiro-ministro, Matteo Renzi, está parado no parlamento em função de divergências entre os parlamentares; Scalfarotto criticou o silêncio "ensurdecedor" de tantas "pessoas boas" em torno da questão

Vice-ministro italiano para relações com o parlamento, Ivan Scalfarotto, anunciou que está em greve de fome desde a última segunda-feira para pressionar a Itália a aprovar a união civil para casais homossexuais; projeto de lei, que já foi aprovado pelo primeiro-ministro, Matteo Renzi, está parado no parlamento em função de divergências entre os parlamentares; Scalfarotto criticou o silêncio "ensurdecedor" de tantas "pessoas boas" em torno da questão
Vice-ministro italiano para relações com o parlamento, Ivan Scalfarotto, anunciou que está em greve de fome desde a última segunda-feira para pressionar a Itália a aprovar a união civil para casais homossexuais; projeto de lei, que já foi aprovado pelo primeiro-ministro, Matteo Renzi, está parado no parlamento em função de divergências entre os parlamentares; Scalfarotto criticou o silêncio "ensurdecedor" de tantas "pessoas boas" em torno da questão (Foto: Paulo Emílio)

247 - O vice-ministro italiano para relações com o parlamento, Ivan Scalfarotto, anunciou que está em greve de fome desde a última segunda-feira para pressionar a Itália a aprovar a união civil para casais homossexuais. Um projeto de lei, que já foi aprovado pelo primeiro-ministro, Matteo Renzi, está parado no parlamento em função de divergências entre os parlamentares acerca do tema.

Apesar do projeto contra com o apoio da maioria dos parlamentares, os partidos de centro-direita apresentaram centenas de alterações questionando situações como a adoção de crianças por casais gays ou o acesso a benefícios sociais, como pensão em caso de morte do parceiro.

Scalfarotto, que é ativista da causa homossexual criticou o silêncio "ensurdecedor" de tantas "pessoas boas". "É hora de fazer alguma coisa", afirmou. Ele também eleogiou a decisão da Suprema Corte do Estados Unidos em legalizar o casamento homossexual em todo o país. Scalfarotto disse que permanecerá em greve de fome até "ter a certeza de que acabará essa violação dos direitos humanos".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247