Mundo

Visita de Lavrov à China fortalece parceria estratégica abrangente

O chanceler russo também foi discutir com o governo chinês sobre a futura visita do presidente Putin

Imagem Thumbnail
Sergei Lavrov e Wang Yi (Foto: Min.Rel.Ext.China)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Com a chegada do Ministro das Relações Exteriores Russo Sergey Lavrov à China na segunda-feira (8) para uma visita oficial, muitos observadores disseram que a parceria estratégica abrangente China-Rússia será ainda mais fortalecida apesar da pressão dos EUA, destaca reportagem do Global Times.

A convite do Ministro das Relações Exteriores Chinês Wang Yi, que também é membro do Bureau Político do Comitê Central do Partido Comunista da China, o principal diplomata russo fará uma visita oficial à China de segunda a terça-feira, anunciou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Mao Ning, no domingo.

Mao disse em uma coletiva de imprensa de rotina na segunda-feira que os dois lados irão trocar opiniões e coordenar posições sobre o desenvolvimento dos laços bilaterais, cooperação em diferentes campos e questões internacionais de interesse comum à margem do 75º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas China-Rússia.

Como anunciou anteriormente a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Russo, Maria Zakharova, em Pequim, Lavrov terá conversas com Wang. Em particular, os ministros discutirão a situação na Ucrânia e na região da Ásia-Pacífico, questões de cooperação bilateral e interação no cenário internacional, disse Zakharova, conforme relatado pela TASS na segunda-feira.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cui Heng, estudioso do Instituto Nacional Chinês para a Troca Internacional e Cooperação Judicial da Organização de Cooperação de Xangai (OCX) com sede em Xangai, disse ao Global Times na segunda-feira que "Lavrov pode estar abrindo caminho para a primeira visita estrangeira do Presidente Putin desde sua reeleição, mas a confirmação final seria um anúncio formal divulgado pelos dois lados".

A Reuters informou em março que Putin viajará para a China em maio, em uma possível primeira viagem ao exterior durante seu novo mandato presidencial, citando cinco fontes familiarizadas com o assunto. O Kremlin, ao ser questionado sobre o relatório da Reuters, disse que informações sobre as visitas de Putin seriam divulgadas mais próximas da data.

Li Haidong, professor da Universidade de Assuntos Exteriores da China, disse que o principal diplomata russo poderia discutir com a China questões urgentes e críticas como a crise na Ucrânia e a cooperação antiterrorismo.

China e Rússia são duas potências importantes na Organização de Cooperação de Xangai (OCX), e a cooperação antiterrorismo entre eles e outros membros da OCX é significativa para a paz e estabilidade regionais, especialmente quando a ameaça do terrorismo ressurgiu em algumas regiões, disseram especialistas. Além da discussão em nível diplomático, os militares, as agências de aplicação da lei e de inteligência dos dois países também promoverão a cooperação para combater o terrorismo, disseram os especialistas.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO