'Voltaremos e seremos milhões', diz Evo Morales, em luta pelo retorno do MAS ao poder na Bolívia

O ex-presidente Evo Morales lançou um livro em que descreve os detalhes do golpe e da reorganização política de seu partido para vencer as eleições

Ex-presidente da Bolívia, Evo Morales
Ex-presidente da Bolívia, Evo Morales (Foto: REUTERS/Rodrigo Urzagasti)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em seu recente livro, o ex-presidente Evo Morales escreve que agiu corretamente ao deixar a Bolívia após o golpe, porque a intenção de seus inimigos não era apenas matá-lo, mas eliminar completamente o MAS (Movimento ao Socialismo). 

Ele afirma que seu partido, o MAS, vive e a luta continua. E tem uma estratégia para voltar ao poder pelas eleições e acabar com a ditadura de Jeanine Áñez.

Em suas reflexões e memórias, Morales também detalha a jornada pessoal e política que enfrentou após sua saída forçada do governo.

“Voltaremos e seremos milhões", escreve Evo. O golpe, o exílio e a luta para que a Bolívia tenha um governo próprio, autônomo são os temas abordados no livro. 

Em oito capítulos, Morales relata as vicissitudes da campanha presidencial do ano passado, o papel da Organização dos Estados Americanos (OEA) em turvar as eleições e manchando-as com a sombra de uma fraude que não existia, seu refúgio no México e seu exílio na Argentina, o apoio de Andrés Manuel López Obrador e Alberto Fernández, as violações dos direitos humanos cometidas pelo governo de Áñez e a necessidade de a Bolívia recuperar a democracia, informa a RT.
 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email