Zona Euro quer mais rigor na economia da Grécia

Ministros das Finanas europeus julgam insuficiente o novo plano de austeridade grego para receber o segundo aporte da ajuda internacional. Papademos ter de encontrar uma forma de poupar mais 325 milhes de euros

Zona Euro quer mais rigor na economia da Grécia
Zona Euro quer mais rigor na economia da Grécia (Foto: Sebastien Pirlet/REUTERS )

Roberta Namour – correspondente do 247 em Paris – Pouco adiantou o esforço do governo grego para aprovar um novo pacote de medidas de austeridade e assim garantir um segundo aporte de ajuda internacional. As medidas anunciadas não satisfizeram a zona do euro e ainda custaram o cargo do ministro do Trabalho grego Yannis Koutsoukos. Membro do partido socialista PASOK, ele informou ao primeiro ministro Lucas Papademos que a sua demissão se devia não só ao fato de considerar as medidas demasiado “duras”, mas também “dolorosas para a classe trabalhadora”.

O Eurogrupo rejeitou uma aprovação imediata do empréstimo adicional à Grécia de 130 bilhões de euros por considerar os cortes insuficientes. O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, disse que o pacote de austeridade "não chegou a um estágio em que possa ser aprovado". Para receber a segunda ajuda financeira, Atenas terá de encontrar uma forma de poupar mais 325 milhões de euros. O executivo grego, composto por uma coligação, encosta os conservadores à parede e diz que agora a solução depende deles.

Papademos tem até quarta-feira da próxima semana para apresentar uma nova proposta. O país reconheceu que as medidas exigidas pela 'troika' - integrada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), Banco Central Europeu (BCE) e Comissão Europeia - 'não são agradáveis', mas avisou que se a Grécia se dirigir à quebra os cortes que esta situação obrigaria seriam muito maiores.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247