O caso wikipédia

Revista Oeste denuncia censura promovida por manipuladores da Wikipédia

Publicação foi colocada em lista de fonte não confiável, sem que os critérios fossem apontados, numa ação liderada pelo militante cirista Rodrigo Padula

www.brasil247.com - Rodrigo Padula
Rodrigo Padula (Foto: Divulgação e Twitter)


Reportagem da revista Oeste – “Estes senhores e eu somos totalmente secundários no seu caso. Na verdade, não sabemos quase nada dele. Não posso lhe dizer que é acusado. Ou melhor: nem sei se é. É certo que o senhor está detido. É apenas isso que eu sei. Talvez os guardas tenham dito outra coisa. Se isso aconteceu, foi só tagarelice. O que posso fazer é aconselhar o senhor a pensar menos em nós e mais em si mesmo. E não faça tanto alarde da sua inocência. Isso prejudica a impressão que o senhor transmite. Ela não parece má.”

O trecho acima — extraído do livro O Processo, de Franz Kafka — é parte do primeiro diálogo entre K., o protagonista, e o personagem identificado como “Inspetor”. Pouco antes, K. fora detido em sua casa. Não sabia por que nem por ordem de quem. E assim será durante boa parte da história.

Nesta semana, Oeste e outros veículos de comunicação viveram uma situação semelhante: descobriram que haviam sido incluídos numa lista de “fontes não confiáveis” elaborada pela Wikipédia, enciclopédia virtual que agrupa textos escritos por colaboradores voluntários. Tal acusação proíbe esses sites de serem incluídos entre as fontes dos verbetes. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A decisão foi tomada por 11 “editores”, escolhidos ninguém sabe por quais critérios. Um deles, Rodrigo Padula, não sabe quem são os outros dez. “Alguns usam pseudônimos, é impossível saber”, alega. Padula também ignora os delitos que levaram o grupo a qualificar Oeste de fonte não confiável. “Foi uma decisão coletiva, não tem um motivo concreto”, desconversa. Os alvos da acusação são impedidos de contestar a decisão. “Isso não será mais colocado em pauta agora.” Outro conselho de Padula foi “levar a decisão menos a sério”. “O melhor que vocês fazem é esquecer essa história”, sugeriu — ou “pensar menos em nós e mais em si mesmo”, poderia ter dito, assim como o inspetor do livro de Kafka.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A existência dessa “lista negra” foi revelada em 20 de março, numa reportagem de O Globo que descreve algumas ações que a Wikipédia adotou para combater a “desinformação” neste ano eleitoral. Além de Oeste, figuram na relação os sites Brasil 247 e Diário do Centro do Mundo, além da Jovem Pan  

Como funciona a enciclopédia de autoria coletiva

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Normalmente, o acesso às edições de verbetes sobre políticos dispara no período que precede as eleições. Segundo as regras da plataforma, as modificações no texto só podem ser feitas com base em fontes confiáveis e verificáveis, como a “imprensa profissional, revistas científicas, documentos públicos e artigos acadêmicos”. Como a enciclopédia é aberta e qualquer um pode editar os textos, cerca de 6 mil voluntários monitoram e revisam os que aparecem na Wikipédia em português. O grupo que define a versão final do conteúdo é formado por 80 administradores, escolhidos pela “comunidade wikipedista” com base em dois pré-requisitos: “boa reputação e imparcialidade”. 

No Twitter, Rodrigo Padula se descreve como “Pai, filho, marido! Geek, amante da natureza e da vida! Wikipedista, escoteiro e ambientalista”. São frequentes os retuítes de Ciro Gomes (PDT), Carlos Lupi, presidente do PDT, e de perfis ligados ao candidato à Presidência. “Sou eleitor do Ciro”, confessa Padula. “Mas não tenho filiação partidária.” Numa entrevista ao Brasil 247, ele garantiu que a preferência política “não afeta sua credibilidade como editor de verbetes políticos na plataforma on-line”. Ao Globo, contudo, Padula informou que a maioria dos editores tem posicionamento ideológico “mais progressista”. 

“Simplesmente rotular alguns veículos de mídia como ‘fonte não confiável’ comprova que a Wikipédia continua sendo ela própria uma fonte não confiável”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Essa marcação como fonte não confiável não é um rótulo que a Wikipédia dá para esses sites”, tentou explicar a Oeste o pai, filho e marido. “É só um controle para que esses sites não sejam utilizados como fontes em verbetes na Wikipédia. É uma questão de confiabilidade interna.” 

Padula explicou que qualquer um pode acusar um veículo de “não confiável”. Feita a denúncia, a decisão é tomada por “editores que têm direito a voto, segundo as regras da Wikipédia. Não existe quórum mínimo, e a decisão se dá por consenso”. Padula jura não saber quem indicou Oeste. “A Wikipédia preza muito pelo anonimato dos usuários”, defendeu-se. “Não tem nome, não tem CPF, não tem e-mail. É uma conta que edita e faz coisas.” 

Cofundador da Wikipédia virou crítico ferrenho da plataforma

No ano passado, numa entrevista ao site UnHerd, Larry Sanger — que fundou a Wikipédia, em 2001, em parceria com Jimmy Wales — acusou a plataforma de abandonar sua proposta inicial de neutralidade e favorecer ostensivamente políticas esquerdistas.  “A Wikipédia agora tem grande influência no mundo. Então existe um jogo sujo e complexo nos bastidores para fazer com que os verbetes digam o que alguém quer que digam.”

Nota de repúdio

Em nota oficial divulgada na última sexta-feira, 25, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) condenou a arbitrariedade da Wikipédia e solicitou o reconhecimento do erro. “Por quais critérios a Wikipédia chegou a essa conclusão?”, contestou a entidade, numa nota assinada por seu presidente, Paulo Jeronimo. “A ABI reafirma seu compromisso com a mais ampla liberdade de informação e com a importância da diversidade de pontos de vista num regime democrático. Isso é ainda mais importante num país como o Brasil, marcado por monopólios e oligopólios na área da comunicação. Por fim, manifestamos a expectativa de que a Wikipédia reconheça seu equívoco e volte atrás em sua decisão.”

A Federação Nacional dos Jornalistas também se manifestou nesta quarta-feira, 30, em apoio aos veículos de comunicação: “A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) vem a público afirmar, categoricamente, que a enciclopédia digital não tem legitimidade para avaliar, julgar e rotular os conteúdos jornalísticos produzidos por qualquer tipo de mídia”, informou, em nota publicada em seu site. “Simplesmente rotular alguns veículos de mídia como ‘fonte não confiável’ comprova que a Wikipédia continua sendo ela própria uma fonte não confiável, requerendo de seus usuários a confirmação das informações em fontes seguras.”

Em dois anos de vida, Oeste denunciou mais de uma vez o autoritarismo de políticos e burocratas. Criticou o confisco do direito de ir e vir. Contestou “critérios científicos que serviram a interesses eleitorais ou financeiros. Defendeu as liberdades: política, econômica, de imprensa, de expressão. Foi alvo de agências de checagem incomodadas com afirmações dissonantes do pensamento único da velha mídia. No momento, é alvo da Wikipédia. 

Oeste processou na Justiça todos os que rotularam de “falsa” alguma  reportagem publicada em suas páginas. Não será diferente agora. Em respeito ao pacto firmado com os leitores, a realidade relativa, para nós, não existe. A realidade é uma só.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email