"A credibilidade do sistema judicial brasileiro depende de anular a condenação de Lula", diz Boaventura

"É bom até para as classes dominantes que o sistema judicial tenha sua credibilidade restaurada. Mas é fundamental também punir Moro e Dallagnol. Eles não podem ficar impunes", defendeu o sociólogo portugues Boaventura de Sousa Santos. Assista sua participação na TV 247

www.brasil247.com - Boaventura de Sousa Santos e Deltan Dallagnol
Boaventura de Sousa Santos e Deltan Dallagnol (Foto: Guilherme Santos/Sul21 | Fernando Frazão/Agência Brasil)


247 - O sociólogo portugues Boaventura de Sousa Santos participou do programa Bom Dia 247 deste sábado (9) e defendeu que “a credibilidade do sistema judicial brasileiro depende de anular a condenação de Lula”, sentenciado arbitrariamente no âmbito da operação Lava Jato. 

"É bom até para as classes dominantes que o sistema judicial tenha sua credibilidade restaurada. Mas é fundamental também punir [Sérgio] Moro e [Deltan] Dallagnol. Eles não podem ficar impunes", acrescentou o sociólogo. 

Boaventura ainda ressaltou que Moro foi muito bem “recompensado” após servir aos EUA no processo de  Lawfare, quando coordenou a operação Lava Jato. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Eu previ que Moro teria um grande cargo no Banco Mundial, mas ele está prestando serviços à uma agência de advocacia em Washington. Foi sua grande recompensa”, concluiu. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se na TV 247 e confira a íntegra da sua fala: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email