Aécio critica PIB e aponta “mandato medíocre” de Dilma

Senador tucano diz que resultado do PIB de 0,1% em 2014 "coroa um dos mandatos mais medíocres da história econômica brasileira. Foram quatro anos praticamente perdidos em termos de crescimento da economia"; em nota, o presidente do PSDB prevê que "as perspectivas para este e os próximos três anos são ainda piores que o primeiro quadriênio de Dilma" e que a presidente não tem mais como usar sua "desgastada desculpa"; "Não, a crise não está lá fora; a crise é o governo que o Brasil tem"

Senador tucano diz que resultado do PIB de 0,1% em 2014 "coroa um dos mandatos mais medíocres da história econômica brasileira. Foram quatro anos praticamente perdidos em termos de crescimento da economia"; em nota, o presidente do PSDB prevê que "as perspectivas para este e os próximos três anos são ainda piores que o primeiro quadriênio de Dilma" e que a presidente não tem mais como usar sua "desgastada desculpa"; "Não, a crise não está lá fora; a crise é o governo que o Brasil tem"
Senador tucano diz que resultado do PIB de 0,1% em 2014 "coroa um dos mandatos mais medíocres da história econômica brasileira. Foram quatro anos praticamente perdidos em termos de crescimento da economia"; em nota, o presidente do PSDB prevê que "as perspectivas para este e os próximos três anos são ainda piores que o primeiro quadriênio de Dilma" e que a presidente não tem mais como usar sua "desgastada desculpa"; "Não, a crise não está lá fora; a crise é o governo que o Brasil tem" (Foto: Gisele Federicce)

247 – O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, criticou duramente nesta sexta-feira 27 o resultado do PIB de 2014, que segundo o IBGE, cresceu apenas 0,1%. O tucano diz que o resultado "coroa um dos mandatos mais medíocres da história econômica brasileira. Foram quatro anos praticamente perdidos em termos de crescimento da economia".

Em nota, ele acrescenta que "as perspectivas para este e os próximos três anos são ainda piores que o primeiro quadriênio de Dilma" e que a presidente não tem mais como usar sua "desgastada desculpa". "Não, a crise não está lá fora; a crise é o governo que o Brasil tem", afirma.

"Trata-se do retrato do fracasso de um experimento em que o Brasil foi feito de laboratório e os brasileiros, transformados em cobaias. Um modelo econômico que, a despeito das críticas e dos alertas, o PT levou adiante sem atentar para o óbvio: a realidade já havia mudado. Deu errado", diz ainda Aécio Neves.

Leia abaixo a íntegra da nota:

 

"O resultado do PIB de 2014 coroa um dos mandatos mais medíocres da história econômica brasileira. Foram quatro anos praticamente perdidos em termos de crescimento da economia.

Para um país sedento por melhorias e com enormes desafios ainda a vencer, quatro anos são tempo demais para serem assim desperdiçados.

São anos em que as dificuldades da população se agravaram, os atrasos do país se agigantaram e o Estado brasileiro tornou-se ainda menos eficiente para dar conta do seu papel.

Trata-se do retrato do fracasso de um experimento em que o Brasil foi feito de laboratório e os brasileiros, transformados em cobaias. Um modelo econômico que, a despeito das críticas e dos alertas, o PT levou adiante sem atentar para o óbvio: a realidade já havia mudado. Deu errado.

O PIB de 2014 deixa o Brasil numa das piores posições no ranking mundial de crescimento. A presidente Dilma Rousseff não poderá usar, mais uma vez, sua desgastada desculpa. Não, a crise não está lá fora; a crise é o governo que o Brasil tem.

As perspectivas para este e os próximos três anos são ainda piores que o primeiro quadriênio de Dilma – até o Banco Central já admite recessão neste ano. Se as expectativas de analistas se confirmarem, teremos mais quatro anos de estagnação da renda per capita, ou seja, os brasileiros estão empobrecendo.

Ou o governo do PT corrige rapidamente a situação que ele mesmo criou ou teremos mais um ciclo de baixo crescimento, inflação alta, juros altos, desequilíbrio externo e ainda o risco de mais aumento de carga tributária. O pior é que agora o único bastião de notícias positivas, a baixa taxa de desemprego e a formalização, também vai piorar.

Os brasileiros merecem um governo que lhes dê esperança e um presente melhor, porque já estão cansados de esperar por um futuro que nunca chega."

Aécio Neves
Presidente nacional do PSDB

Conheça a TV 247

Mais de Poder

O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar
Poder

PSL pode se juntar ao PP

As conversas de fusão do DEM com o PSL estão perdendo força, e Luciano Bivar, presidente da sigla, sentou à mesa com outro cacique da direita: Ciro Nogueira, o poderoso chefão do PP

Ao vivo na TV 247 Youtube 247