Alckmin promete punir culpados pelo apagão

Na noite de ontem, 700 mil pessoas ficaram sem luz em So Paulo

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), prometeu hoje tomar providências em relação ao apagão que atingiu ontem bairros das zonas oeste e sul e deixou 700 clientes sem luz na capital paulista. "Não é possível São Paulo, a quarta maior metrópole do mundo, ficar horas e horas sem energia elétrica", afirmou ele, em Marília, no interior paulista.

Alckmin disse que acionou o secretário de Energia, José Aníbal, e a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arcesp) para que tomem ações e esclareçam de quem foi a responsabilidade pelo apagão, o que ocorreu e quais medidas foram adotadas para restabelecer a energia. O governador disse que seu "governo vem agindo firmemente no sentido de, primeiro, exigir investimentos das prestadoras de serviço tanto na distribuição quanto na transmissão". Além disso, afirmou que "estamos exercendo rigorosa fiscalização e vamos multar alto".

"Todo o setor de energia elétrica é concessionado. O poder concedente é o governo federal. Nós temos uma delegação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para exercer o papel fiscalizador, que também é da agência federal. Vamos usar desse instrumento para apertar, seja a distribuidora ou a transmissora para poder ter serviço de qualidade em São Paulo", prometeu o governador. Alckmin destacou que todos os cidadãos e consumidores que tiveram prejuízos em decorrência do apagão devem pedir ressarcimento e, em caso de dificuldade, procurar a Fundação Procon.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email