Amorim, o mais feliz na 1ª foto, assume Defesa

Roteiro de posse foi cumprido com cuidado; primeiro o novo ministro reuniu-se com a presidente Dilma no Palcio do Alvorada; depois, foi ao Planalto encontrar-se com os chefes militares; na fotografia, era o mais sorridente

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Agência Brasil – Completou-se, na prática, na tarde deste sábado 6, o ritual de entrada do ex-chanceler Celso Amorim no cargo número 1 do Ministério da Defesa. Num roteiro cumprido com todo o cuidado, Amorim reuniu-se primeiro com a presidente Dilma Rosseff, no Palácio do Alvorada, e em seguida com os três comandantes militares, no Palácio do Planalto. Mais tarde, um foto com Amorim na cabeceira da mesa em sua primeira reunião de trabalho com os chefes das três armas - Juniti Saito (Aeronáutica) Júlio Soares de Moura Neto (Marinha) e Enzo Peri (Exército), além de José Carlos de Nardi, comandante do Estado-maior Conjunto das Forças Armadas. Nos bastidores, os militares têm criticado a escolha do ex-chanceler brasileiro para o comando do Ministério.

Amorim almoçou com Dilma no Palácio do Alvorada, onde chegou por volta das 12h45 e de onde saiu às 15h20. Segundo a assessoria do ministério, durante a longa conversa com a presidenta, Amorim recebeu as primeiras orientações sobre a condução da pasta. Amorim estava em João Pessoa desde a última quinta-feira (4), quando Jobim deixou o cargo e o ex-chanceler foi anunciado pela presidenta como o novo ministro da Defesa.

Do Alvorada, Amorim seguiu direto para o Palácio do Planalto, onde recebeu os comandantes do Exército, general Enzo Peri; da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito; da Marinha, almirante Júlio Soares de Moura Neto e o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general José Carlos de Nardi. O encontro durou 1h45.

De acordo com a assessoria do ministério, Amorim apresentou aos militares os motivos que o levaram a aceitar o convite para assumir o cargo. Ele disse estar com bastante disposição, prometeu se empenhar para executar as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa, aprovada em 2008, e disse que não vai “reinventar a roda”.

Além de se apresentarem ao novo ministro, os comandantes militares destacaram as prioridades de cada pasta. Ainda de acordo com a assessoria, Amorim ficou bastante satisfeito e considerou a conversa positiva. Nos próximos dias, ele deve se reunir com cada comandante individualmente a fim de conhecer mais a fundo as necessidades.

Nelson Jobim foi substituído depois de ter feito sucessivas declarações que geraram desconforto ao governo federal, como a de que, nas últimas eleições presidenciais, votou no candidato tucano José Serra e não em Dilma. A nomeação de Amorim foi publicada no Diário Oficial da União de ontem (5) e a cerimônia de posse está prevista para a próxima segunda-feira (8), em horário ainda não definido.

Ontem, ao participar de um evento em João Pessoa (PB) a convite da Universidade Estadual da Paraíba, Amorim prometeu respeitar os interesses estratégicos nacionais na condução da política de Defesa e elogiou o trabalho de seus antecessores.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email