Apoio 'incondicional' de Freire a Serra racha PPS

Integrantes do PPS acreditam que reiterados convites ao tucano enfraquecem legenda e dificultam aproximação com outros candidatos. "Ele promove luta interna no PSDB e nos usa como forma de pressão", disse Roberto Percinoto, do Rio. "O Serra representa o establishment rejeitado pelas manifestações mais do que a presidente Dilma Rousseff", afirmou Luiz Castro Andrade Neto, do Amazonas. Luiz Antônio Martins também acredita que filiação faria Dilma "ganhar com facilidade" porque dividirá os votos do PSDB

Integrantes do PPS acreditam que reiterados convites ao tucano enfraquecem legenda e dificultam aproximação com outros candidatos. "Ele promove luta interna no PSDB e nos usa como forma de pressão", disse Roberto Percinoto, do Rio. "O Serra representa o establishment rejeitado pelas manifestações mais do que a presidente Dilma Rousseff", afirmou Luiz Castro Andrade Neto, do Amazonas. Luiz Antônio Martins também acredita que filiação faria Dilma "ganhar com facilidade" porque dividirá os votos do PSDB
Integrantes do PPS acreditam que reiterados convites ao tucano enfraquecem legenda e dificultam aproximação com outros candidatos. "Ele promove luta interna no PSDB e nos usa como forma de pressão", disse Roberto Percinoto, do Rio. "O Serra representa o establishment rejeitado pelas manifestações mais do que a presidente Dilma Rousseff", afirmou Luiz Castro Andrade Neto, do Amazonas. Luiz Antônio Martins também acredita que filiação faria Dilma "ganhar com facilidade" porque dividirá os votos do PSDB (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A insistência de Roberto Freire em estender o tapete vermelho para José Serra disputar a presidência em 2014 tem causado mal-estar no partido. Integrantes do diretório nacional do PPS criticaram ontem, durante reunião em Brasília, a possível filiação do ex-governador de São Paulo. O secretário de Comunicação do PPS de São Paulo, Maurício Huertas, disse que os reiterados convites ao tucano dificultam as conversas com outros candidatos, como a ex-ministra Marina Silva.

"O PPS apostar na candidatura do Serra significa caminhar para a redução do partido. O Serra representa o establishment rejeitado pelas manifestações mais do que a [presidente] Dilma [Rousseff]", também afirmou Luiz Castro Andrade Neto, do Amazonas.

Já o representante do Rio Roberto Percinoto lembrou que o tucano tem grande rejeição no Estado. "Nas duas vezes em que foi candidato à Presidência, Serra não conseguiu fazer sequer um evento relevante no Rio", disse. "Ele promove luta interna no PSDB e nos usa como forma de pressão."

Outros partidários se dizem preocupados com o enfraquecimento da oposição. Luiz Antônio Martins, do Rio, disse que isso faria Dilma "ganhar com facilidade". "Não tenho dúvida que a eventual vinda do Serra será muito ruim para a oposição. Ele vai competir no mesmo campo do [senador] Aécio Neves e dividir os votos do PSDB", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email