Após 40 anos, Aldo Rebelo deixa o PCdoB

Partido confirmou a saída do ex-ministro e ex-presidente da Câmara, que era filiado desde 1977, quando a sigla ainda atuava na clandestinidade, durante o período da ditadura militar; sua ida para o PSB se dá como provável, mas ainda não foi formalizada

Bras�lia - O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, participa de audi�ncia p�blica na Comiss�o de Educa��o, Cultura e Esporte do Senado, para discutir os preparativos para a Copa das Confedera��es, em 2013, e para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014
Bras�lia - O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, participa de audi�ncia p�blica na Comiss�o de Educa��o, Cultura e Esporte do Senado, para discutir os preparativos para a Copa das Confedera��es, em 2013, e para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro e ex-presidente da Câmara Aldo Rebelo deixou o PCdoB após 40 anos filiado ao partido.

A informação foi confirmada nesta quarta-feira 16 pela presidente nacional da legenda, Luciana Santos. Em nota, ela disse que as opiniões convergentes e os fortes laços que ligam Rebelo ao partido contribuem para manter o diálogo em tornos das grandes questões nacionais.

Rebelo era filiado ao PCdoB desde 1977, quando a sigla ainda atuava na clandestinidade, durante o período da ditadura militar. Sua ida para o PSB é dada como provável, mas ainda não foi confirmada pelo político.

Leia a íntegra da nota de Luciana Santos:

Conforme noticiado hoje na coluna da jornalista Rosângela Bittar do Valor Econômico, Aldo Rebelo, de fato comunicou-me na segunda-feira passada,14/8, o seu afastamento do PCdoB.

Entretanto, dada a convergência de opiniões políticas e os fortes laços que continuam ligando Aldo ao nosso Partido, manteremos o diálogo em torno das grandes questões nacionais.

Luciana Santos

Presidenta Nacional do PCdoB
16 de agosto de 2017

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247