Após área econômica, Dilma acerta PMDB e cozinha o PT

Presidente Dilma avisou, através do presidente Rui Falcão, que não ouviria o partido para decidir sua equipe econômica, mas que chamaria os petistas em seguida para tratar das outras pastas; "Mas Dilma maltrata o partido também ao ignorá-lo, até agora, na segunda etapa de montagem do ministério. A mágoa é grande", comenta a colunista do 247 Tereza Cruvinel; enquanto isso, presidente ampliou de 5 para 6 pastas a cota do PMDB de Michel Temer, irritado com a escolha de Kátia Abreu para a Agricultura; ainda há PROS, PP e PSD a atender; resultado, diz a jornalista: "o PT faz as contas e acha que perderá espaço mesmo"

Presidente Dilma avisou, através do presidente Rui Falcão, que não ouviria o partido para decidir sua equipe econômica, mas que chamaria os petistas em seguida para tratar das outras pastas; "Mas Dilma maltrata o partido também ao ignorá-lo, até agora, na segunda etapa de montagem do ministério. A mágoa é grande", comenta a colunista do 247 Tereza Cruvinel; enquanto isso, presidente ampliou de 5 para 6 pastas a cota do PMDB de Michel Temer, irritado com a escolha de Kátia Abreu para a Agricultura; ainda há PROS, PP e PSD a atender; resultado, diz a jornalista: "o PT faz as contas e acha que perderá espaço mesmo"
Presidente Dilma avisou, através do presidente Rui Falcão, que não ouviria o partido para decidir sua equipe econômica, mas que chamaria os petistas em seguida para tratar das outras pastas; "Mas Dilma maltrata o partido também ao ignorá-lo, até agora, na segunda etapa de montagem do ministério. A mágoa é grande", comenta a colunista do 247 Tereza Cruvinel; enquanto isso, presidente ampliou de 5 para 6 pastas a cota do PMDB de Michel Temer, irritado com a escolha de Kátia Abreu para a Agricultura; ainda há PROS, PP e PSD a atender; resultado, diz a jornalista: "o PT faz as contas e acha que perderá espaço mesmo" (Foto: Gisele Federicce)

247 – A presidente Dilma Rousseff decidiu não ouviu o PT na escolha de sua nova equipe econômica, que será anunciada amanhã, afirma a colunista do 247 Tereza Cruvinel. O recado, segundo ela, foi dado ao presidente do partido, Rui Falcão, com o seguinte complemento: em seguida, ela chamara os petistas para definir as outras pastas. "Mas Dilma maltrata o partido também ao ignorá-lo, até agora, na segunda etapa de montagem do ministério. A mágoa é grande", comenta Tereza.

Principalmente porque, enquanto isso, o PMDB só tem a comemorar. Irritado com o convite de Dilma para que a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) assuma o ministério da Agricultura, sem ser consultado, o partido do vice Michel Temer será agradado com mais uma pasta, ampliando sua cota de cinco para seis ministérios.

"E como Dilma ainda tem que acertar-se com o PROS, o PP e o PSD, o PT faz as contas e acha que perderá espaço mesmo", avalia Tereza. O partido ainda constata que, internamente, ela deve favorecer correntes minoritárias. "Afinal, não tendo mais reeleição pela frente, Dilma pode pensar que não precisará mais do PT. Pode, mas não incorreria em erro político tão primário", diz Tereza.

Leia aqui a íntegra do artigo.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247