Após golpe misógino, Temer manda mulheres de volta para a cozinha

Responsável pela conspiração que derrubou a primeira mulher eleita presidente da República, Michel Temer, que também produziu a maior depressão econômica da história do País, disse nesta quarta-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, que a recuperação econômica (inexistente, diga-se de passagem) permitirá que as mulheres tenham mais oportunidades de emprego, além de cuidar dos "afazeres domésticos"; ao lado da primeira-dama, Marcela, que se assume bela, recatada e do lar, Temer também disse que ninguém é mais capaz do que as mulheres para "indicar os desajustes de preço no supermercado" e ainda que a formação dos filhos é feita pelas mulheres; do lado de fora, acontecia ato de mulheres contra a perda de direitos e pelo 'Fora, Temer'

Responsável pela conspiração que derrubou a primeira mulher eleita presidente da República, Michel Temer, que também produziu a maior depressão econômica da história do País, disse nesta quarta-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, que a recuperação econômica (inexistente, diga-se de passagem) permitirá que as mulheres tenham mais oportunidades de emprego, além de cuidar dos "afazeres domésticos"; ao lado da primeira-dama, Marcela, que se assume bela, recatada e do lar, Temer também disse que ninguém é mais capaz do que as mulheres para "indicar os desajustes de preço no supermercado" e ainda que a formação dos filhos é feita pelas mulheres; do lado de fora, acontecia ato de mulheres contra a perda de direitos e pelo 'Fora, Temer'
Responsável pela conspiração que derrubou a primeira mulher eleita presidente da República, Michel Temer, que também produziu a maior depressão econômica da história do País, disse nesta quarta-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, que a recuperação econômica (inexistente, diga-se de passagem) permitirá que as mulheres tenham mais oportunidades de emprego, além de cuidar dos "afazeres domésticos"; ao lado da primeira-dama, Marcela, que se assume bela, recatada e do lar, Temer também disse que ninguém é mais capaz do que as mulheres para "indicar os desajustes de preço no supermercado" e ainda que a formação dos filhos é feita pelas mulheres; do lado de fora, acontecia ato de mulheres contra a perda de direitos e pelo 'Fora, Temer' (Foto: Gisele Federicce)

247 - Depois de conspirar para derrubar a primeira mulher presidente no Brasil do poder, Michel Temer fez um discurso nesta quarta-feira 8, Dia Internacional da Mulher, que confirmou seus pensamentos a respeito das mulheres: elas são as responsáveis pelos "afazeres domésticos", pela "formação dos filhos" e por ir ao supermercado - além, é claro, de "trabalhar fora".

Em cerimônia no Palácio do Planalto em homenagem à data, e ao lado da primeira-dama, Marcela, que se assume bela, recatada e do lar, Temer afirmou que a recuperação econômica (que só ele vê) permitirá que as mulheres tenham mais oportunidades de emprego, além de cuidar dos "afazeres domésticos".

"Com a queda da inflação e dos juros, com o superávit recorde da balança comercial, com o crescimento do investimento externo, isso significa emprego, e significa também que a mulher, além de cuidar dos afazeres domésticos, terá um campo cada vez mais largo de emprego", declarou.

Ele também disse que ninguém é mais capaz do que as mulheres para "indicar os desajustes de preço no supermercado" e ainda que a formação dos filhos é feita pelas mulheres.

"Tenho absoluta convicção, até por formação familiar, por estar ao lado da Marcela (Temer), o quanto a mulher faz pela casa, o quanto faz pelo lar, o quanto faz pelos filhos. Se a sociedade, de alguma maneira, vai bem, e os filhos crescem, é porque tiveram uma adequada formação em suas casas, e seguramente isto quem faz não é o homem, mas a mulher", afirmou.

Ignorando os dados internacionais que apontam para a desigualdade no mercado de trabalho, Temer afirmou que, hoje, "homens e mulheres são igualmente empregados". "Com algumas restrições", observou. "Mas a gente vê o número de mulheres que comandam empresas", disse. 

De acordo com dados do IBGE, a taxa de desocupação entre as mulheres com mais de 14 anos no Brasil continua acima do índice geral, que inclui os dois gêneros. No último trimestre do ano passado, de acordo com os dados mais recentes, o índice de desocupação havia chegado a 12% no Brasil. Para os homens, era de 10,7% e para as mulheres, de 13,8%.

Nesta quarta em Brasília, mulheres protestaram contra a perda de direitos e pelo 'Fora, Temer' (confira no vídeo acima, de George Marques).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247