Bebianno prevê demissão de Paulo Guedes por Bolsonaro

"Ele não aceitará entrar para o paredão bolsonarista e ser queimado. Acho que ele saíra antes disso", acredita o ex-ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, que foi demitido depois de uma fritura da milícia bolsonarista

Gustavo Bebianno e Paulo Guedes
Gustavo Bebianno e Paulo Guedes (Foto: Agência Brasil)

247 - Com temperamento forte, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não deverá aguentar a fritura que geralmente é imposta a um integrante do governo que Jair Bolsonaro pretende demitir. A avaliação foi feita em entrevista ao UOL por Gustavo Bebianno, ex-ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, que passou pela mesma situação em 2019.

"Paulo Guedes é um profissional de mão cheia, competente. Mas tem o temperamento forte e não é de muita conversa mole. Ele não aceitará entrar para o paredão bolsonarista e ser queimado. Acho que ele saíra antes disso", previu o ex-ministro.

Em sua avaliação, caso Bolsonaro perceba que não precisa mais de Guedes, ele "não hesitará em jogá-lo às feras". "O Paulo já sabe disso e não me parece que aceitará fazer esse jogo", avalia.

Bebianno disse ainda acreditar que Bolsonaro "não acredita no liberalismo econômico, acho que nem compreende bem os conceitos e fundamentos envolvidos". "A verdade é que ele encontrou no Paulo um bom cabo eleitoral, que o ajudou muito a encontrar a aceitação do mercado. Mas, no fundo, o Jair não tem nada de liberal", afirmou.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247