Bolsonaro admite que pode ficar fora da disputa de 2018: “me fodi”

Deputado ultradireitista Jair Bolsonaro (PSC-SP) admitiu que poderá lhe custar uma candidatura a presidente o fato de o STF ter aceitado a denúncia contra ele por incitação ao crime de estupro; "Me fodi. Tomei de quatro a um [quatro ministros votaram contra ele e um a favor]. Estão querendo me tornar inelegível para as próximas eleições. Vou pagar pelo estupro coletivo daquela menina no Rio", desabafou, em conversa com um jornalista que ele imaginou ser um advogado, segundo Ricardo Noblat

Deputado ultradireitista Jair Bolsonaro (PSC-SP) admitiu que poderá lhe custar uma candidatura a presidente o fato de o STF ter aceitado a denúncia contra ele por incitação ao crime de estupro; "Me fodi. Tomei de quatro a um [quatro ministros votaram contra ele e um a favor]. Estão querendo me tornar inelegível para as próximas eleições. Vou pagar pelo estupro coletivo daquela menina no Rio", desabafou, em conversa com um jornalista que ele imaginou ser um advogado, segundo Ricardo Noblat
Deputado ultradireitista Jair Bolsonaro (PSC-SP) admitiu que poderá lhe custar uma candidatura a presidente o fato de o STF ter aceitado a denúncia contra ele por incitação ao crime de estupro; "Me fodi. Tomei de quatro a um [quatro ministros votaram contra ele e um a favor]. Estão querendo me tornar inelegível para as próximas eleições. Vou pagar pelo estupro coletivo daquela menina no Rio", desabafou, em conversa com um jornalista que ele imaginou ser um advogado, segundo Ricardo Noblat (Foto: Aquiles Lins)

247 - O deputado ultradireitista Jair Bolsonaro (PSC-SP) admitiu nessa terça-feira, 21, que poderá lhe custar uma candidatura a presidente o fato de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter aceito a denúncia contra ele por incitação ao crime de estupro contra a deputada Maria do Rosário (PT-RS) (leia mais).

"Me fodi. Tomei de quatro a um [quatro ministros votaram contra ele e um a favor]. Estão querendo me tornar inelegível para as próximas eleições. Vou pagar pelo estupro coletivo daquela menina no Rio", desabafou Bolsonaro em conversa com um jornalista que ele imaginou ser um advogado, segundo o colunista Ricardo Noblat.

Caso seja condenado, Bolsonaro ficará inelegível por oito anos. 

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247