Bolsonaro aos ruralistas: 'Vocês gostaram do ministro do Meio Ambiente agora, né?'

Jair Bolsonaro deixou claro a quem desejou agradar com o anúncio do nome de Ricardo Salles para a pasta do Meio Ambiente; durante almoço esta terça com ruralistas e cantores sertanejos, no Clube do Exército em Brasília, ele declarou num vídeo para o Instagram do locutor de rodeios Cuiabano Lima, dirigindo-se aos ruralistas: "Vocês gostaram do ministro do Meio Ambiente agora, né? Com toda certeza"; Salles ficou conhecido por fazer campanha a deputado federal pelo Partido Novo em São Paulo tendo como número o calibre de balas de um fuzil, 3006, e ameaçando explicitamente matar os sem terra

Bolsonaro aos ruralistas: 'Vocês gostaram do ministro do Meio Ambiente agora, né?'
Bolsonaro aos ruralistas: 'Vocês gostaram do ministro do Meio Ambiente agora, né?'

247 - Num ambiente de festa e comemoração, Jair Bolsonaro deixou claro a quem desejou agradar com o anúncio do nome do neofascista Ricardo Salles para a pasta do Meio Ambiente. Durante almoço com ruralistas e cantores sertanejos nesta terça (11), no Clube do Exército em Brasília, ele declarou num vídeo para o Instagram do locutor de rodeios Cuiabano Lima, dirigindo-se aos ruralistas: "Vocês gostaram do ministro do Meio Ambiente agora, né? Com toda certeza". Como resposta, o locutor tratou o presidente eleito com intimidade, chamando-o de "Jair", e atacou: "Obrigado, Jair, fica com Deus".

No vídeo, curto, o locutor apresentou-se como representante do "rodeio brasileiro e do agronegócio". O almoço reuniu parlamentares da bancada ruralista, um dos filhos de Bolsonaro, o vereador carioca Carlos Bolsonaro, além dos cantores Amado Batista, da dupla sertaneja Gian e Giovani, entre outros.

Assista:

 

Ricardo Salles foi o último ministro do futuro governo Bolsonaro confirmado, na tarde do último domingo (9). Ex-secretário particular e de Meio Ambiente de Geraldo Alckmin em São Paulo, Salles tentou se eleger deputado federal pelo partido Novo nas eleições deste ano. Baseou sua candidatura numa campanha de ódio aos sem terra. Escolheu como número de candidato 3006, exatamente o calibre de balas de fuzil. Sua principal peça de campanha associava numa foto do as balas de fuzil a fotos de sem terra (aqui). Não se elegeu.

Por sua atuação no governo paulista, se tornou réu em uma ação civil pública por improbidade junto com duas funcionárias da secretaria por possível interferência no processo de elaboração do plano de manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) Várzea do Rio Tietê.

Ele também é investigado por ter dado andamento a uma proposta de negociação do imóvel da sede do Instituto Geológico, na capital paulista e, em outro inquérito, é investigado por ter realizado chamamento público, sem autorização legislativa, para a concessão ou venda de 34 áreas do Instituto Florestal (leia aqui). 

Não é à toa que os ruralistas estão celebrando sua futura nomeação.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247