Bolsonaro intensifica contato com evangélicos para conter queda de popularidade

Após ver a sua reprovação superar a aprovação, Jair Bolsonaro iniciou movimentos para se aproximar dos evangélicos e segurar a queda de popularidade. O ocupante do Planalto disse que é preciso conversar cada vez mais com os evangélicos. "Trazê-los para perto", disse

(Foto: Alan Santos - PR)

247 - Após ver a sua reprovação superar a aprovação, Jair Bolsonaro iniciou movimentos para se aproximar dos evangélicos e segurar a queda de popularidade. Em café da manhã com jornalistas da Folha de S.Paulo, na última terça-feira (3), Bolsonaro disse que é preciso conversar cada vez mais com os evangélicos. "Trazê-los para perto", disse.

De acordo com pesquisa Datafolha, publicada um dia antes, a reprovação dele subiu de 33% para 38% em relação ao levantamento anterior do instituto, feito no início de julho. A aprovação de Bolsonaro também caiu, de 33% em julho para 29% agora.  

Até entre as pessoas mais ricas (com renda mensal acima de 10 salários mínimos), a aprovação caiu de 52% em julho para 37% agora.

Bolsonaro tem acenado com a indicação de evangélicos para cargos públicos, concedido benefícios fiscais a templos cristãos e também cogita a indicação de um religioso para o posto de vice-presidente em 2022.


 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247