Bolsonaro muda de opinião, diz que quer depor presencialmente à PF e STF adia julgamento

A decisão, anunciada no plenário do STF pela Advocacia Geral da União (AGU) provocou novamente o adiamento do julgamento que definiria se Bolsonaro poderia, ou não, prestar depoimento por escrito nesse caso

www.brasil247.com -
(Foto: Isac Nóbrega/PR | Nelson Jr./SCO/STF)


247 - Jair Bolsonaro informou nesta quarta-feira (6) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que pretende depor presencialmente no inquérito que apura suposta interferência política na Polícia Federal

A decisão, anunciada no plenário do STF pela Advocacia Geral da União (AGU) provocou novamente o adiamento do julgamento que definiria se Bolsonaro poderia, ou não, prestar depoimento por escrito nesse caso. Até agora, Bolsonaro vinha pedindo permissão da Justiça para se manifestar por escrito.

Em outubro de 2020, o STF começou a julgar o caso da PF. Na época o relator era o ministro Celso de Mello, que afirmou não ser admissível a concessão de "privilégios" e "tratamento seletivo" e defendeu que Bolsonaro depusesse presencialmente à polícia.

Alexandre de Moraes, que substituiu Celso de Mello na relatoria, negou o pedido do presidente para não depor, afirmando que caberá ao plenário definir como será o interrogatório, se presencial ou por escrito.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email