Bomba engavetada

Arruda atira lama no ventilador , mas os advogados dele dizem em nota oficial que a entrevista Veja foi feita em setembro, antes das eleies gerais

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Em entrevista à Veja, divulgada na quarta 17 em Vejaonline, o governador José Roberto Arruda foi absolutamente claro. Com todas as letras, ele afirmou ter ajudado de diversas formas ilegais diferentes políticos conhecidos. A lista inclui o recém-empossado presidente do DEM José Agripino Maia, o ex Rodrigo Maia, o pai dele Cesar Maia, o ruralista Ronaldo Caiado, o senador Demóstenes Torres, o deputado ACM Neto, o presidente do PSDB Sérgio Guerra, o ex-ministro Gustavo Krause (para beneficiar o ex-presidente Marco Maciel), enfm, Arruda jogou lama no ventilador. Mas quando foi feita a entrevista bomba?

Segundo os advogados de Arruda, em setembro de 2010, portanto às vésperas das eleições gerais. Em nota oficial, os advogados Nélio Machado, Edson Alfredo Smaniotto e Cristiano Maronna afirmaram que a veiculação agora ocorreu de maneira “incompleta, deturpada e totalmente fora do contexto”. Deu-se a entender por Veja, porém, que a entrevista foi realizada nesta semana, pouco menos de dois anos antes da próxima ida às urnas dos brasileiros. Até 17h57, não se tinha notícia de nenhum pronunciamento dos responsáveis pela veiculação da entrevista para rebater a versão dos advogados do entrevistado.

As declarações de Arruda foram rebatidas pelos políticos acusados. José Agripino Maia – “veio à minha casa pedir R$ 150 mil para a campanha da sua candidata a prefeita de Natal, Micarla de Sousa”, nas palavras do ex-governador – disse que, em relação a ele, são “totalmente infundadas, repilo a altura” Ronaldo Caiado chamou Arruda de “gangster e escroque”. Os desmentidos, é claro, se multiplicaram entre os acusados.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email