Campanha #AnulaSTF debate falta de provas na AP 470

Objetivo de apontar erros no que foi visto como um julgamento político de exceção tem mais uma etapa; campanha organizada pela CUT chega à Associação Brasileira de Imprensa, no Rio, para debate que é transmitido no momento, ao vivo, pela internet; José Dirceu participa do debate, e foi recebido com os tradicionais gritos de guerra da militância petista

Campanha #AnulaSTF debate falta de provas na AP 470
Campanha #AnulaSTF debate falta de provas na AP 470
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Vistos à distância, os erros jurídicos no julgamento da Ação Penal 470 estão ganhando novas dimensões. A ausência de provas factuais, a prevalência da tese do domínio do fato e até o confuso processo de estabelecimento de penas, no qual foi dado peso zero aos votos dos juízes que se manifestaram pela inocência dos réus vão sendo fatores cada vez mais debatidos – e criticados. Depois de começar em Brasíia, a campanha #AnulaSTF, organizada pela CUT e o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, chegou nesta noite à Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio.

O debate é transmitido ao vivo pela internet pelo site www.baraodeitarare.org.br (clique aqui para outra alternativa de transmissão). Desta vez, o ex-ministro José Dirceu, condenado a mais de dez anos de prisão, está presente. Ele fará parte da mesa que terá também o jornalista Raimundo Rodrigues Pereira, editor da revista Retrato do Brasil. Pereira divulgou documentos que comprovaram gastos de marketing durante a gestão de Henrique Pizzolato naquela área do Banco do Brasil, ignorados duranten o julgamento no Supremo.

Além de Dirceu e Pereira, a mesa de debate conta com Fernanda Carísio, integrante da Executiva do PT-RJ e ex-presidente do Sindicato dos Bancários do Rio, Altamiro Borges, jornalista e coordenador do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé, e Adriano Pilatti, advogado e professor da PUC-Rio.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247