Campos e Marina divergem em vários estados

Chapa presidencial da dupla, tendo Marina Silva como vice de Eduardo Campos, será anunciada nesta segunda-feira, mas ainda falta aparar arestas importantes em estados importantes como São Paulo e Paraná

SÃO PAULO, SP, 28.10.2013: ENCONTRO PSB/REDE/SP - Marina Silva e o presidente do PSB, Eduardo Campos -  O Partido Socialista Brasileiro e a Rede Sustentabilidade realizam nesta segunda-feira, na Lapa (zona oeste), o primeiro encontro programático que tem
SÃO PAULO, SP, 28.10.2013: ENCONTRO PSB/REDE/SP - Marina Silva e o presidente do PSB, Eduardo Campos - O Partido Socialista Brasileiro e a Rede Sustentabilidade realizam nesta segunda-feira, na Lapa (zona oeste), o primeiro encontro programático que tem (Foto: Leonardo Attuch)

247 - Nesta segunda-feira, a ex-senadora Marina Silva, criadora da Rede Sustentabilidade, será anunciada como vice na chapa de Eduardo Campos, do PSB. O objetivo é reforçar a transferência de votos dela para ele, após a união.

Apesar disso, ainda há arestas a resolver na construção dos palanques regionais em diversos estados. O motivo: Marina não aceita coligações do PSB com partidos da "velha política", como PSDB, PT e PMDB.

Eis cinco estados com problemas:

1) São Paulo - O PSB lançará Marcio França, mas Marina desejava ter como candidato algum nome ligado a ela, como Walter Feldman (PSB), Ricardo Young (PPS) e Gilberto Natalini (PV).

2) Paraná - Campos apoiará a reeleição de Beto Richa, mas a Rede optou pela deputada federal Rosane Ferreira (PV).

3) Alagoas - O PSB apoiará o ex-tucano Alexandre Toledo. Marina apoiará apenas a candidatura da ex-senadora Heloisa Helena ao Senado.

4) Acre - Marina decidiu neutralidade na disputa em torno da sucessão do ex-aliado Tião Viana, que terá apoio do PSB.

5) Minas - Uma ala do PSB lançou, com apoio de Marina, Apolo Heringer. Campos deve fechar com o tucano Pimenta da Veiga.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247