"Caso Léo Pinheiro impõe o fim da delação premiada no Brasil", diz Alex Solnik

“Isso foi usado pela lava jato para deturpar investigações”, disse o jornalista durante a sua participação no Bom Dia 247

(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Em entrevista ao programa Bom Dia da TV 247, o jornalista Alex Solnik destacou que o caso Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS que escreveu uma carta de próprio punho voltando atrás em acusações que fez contra o ex-presidente Lula, é um marco para discutir a delação premiada no Brasil.

Segundo Solnik, a delação é uma espécie de tortura. “Esse episódio exige que se tome providência para que acabe a delação premiada. É uma espécie de tortura, uma chantagem. É um caminho para mentir, para se livrar de penas”. 

O jornalista relembrou outro caso de delação premiada do passado, que foi usado indevidamente. “O caso Léo Pinheiro é emblemático assim como o do Palocci. Ele também mentiu, fez uma delação, ficou livre e a delação dele foi usada de forma política”. 

PUBLICIDADE

De acordo com o jornalista, o que aconteceu no caso de Lula é que todos que estavam ali acusados teriam a liberdade se delatassem o ex-presidente seja com a verdade ou com mentira.

Solnik finalizou com um alerta: “Isso que aconteceu no passado pode se repetir se a delação premiada continuar no ordenamento jurídico brasileiro”. 

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email