Ciro diz não ter ilusão sobre aliança com o PT: não vão me apoiar

Em mais uma entrevista, o presidenciável Ciro Gomes, do PDT, afirmou que não alimenta “nenhuma ilusão” sobre um eventual apoio do PT e de Luiz Inácio Lula da Silva à sua provável candidatura em outubro; “Quem quer governar um país complicado como o Brasil gostaria de ter o apoio de quem pudesse ter. E o [grupo] mais avizinhado do que eu ando pensando sobre as coisas do Brasil, dos meus valores, do amor à pobreza do Brasil, do amor ao Brasil como um país que tem de ser protegido da cobiça internacional é o Lula, mas eu não tenho a menor ilusão, nenhuma ilusão, de que [a partir de] minha conversa com eles algum dia eu vou ter o apoio do PT”, disse; confira a íntegra

30/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS, BRASIL - entrevista com Ciro Gomes. Foto: Guilherme Santos/Sul21
30/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS, BRASIL - entrevista com Ciro Gomes. Foto: Guilherme Santos/Sul21 (Foto: Leonardo Attuch)

Por Lilian Tahan e Caio Barbieri, no Metrópoles Embora esteja cada vez mais próximo a expoentes do Partido dos Trabalhadores (PT), o presidenciável Ciro Gomes (PDT) diz que não alimenta “nenhuma ilusão” sobre o apoio do PT e de Luiz Inácio Lula da Silva à sua provável candidatura em outubro.

“Quem quer governar um país complicado como o Brasil gostaria de ter o apoio de quem pudesse ter. E o [grupo] mais avizinhado do que eu ando pensando sobre as coisas do Brasil, dos meus valores, do amor à pobreza do Brasil, do amor ao Brasil como um país que tem de ser protegido da cobiça internacional é o Lula, mas eu não tenho a menor ilusão, nenhuma ilusão, de que [a partir de] minha conversa com eles algum dia eu vou ter o apoio do PT”, disse Ciro Gomes em entrevista ao Metrópoles na sexta-feira (23/2).

Nesta semana, o pedetista participou de um jantar na casa do ex-prefeito Fernando Haddad, que recebeu, segundo reportagem do jornal O Estado de São Paulo, sinal verde de Lula para a aproximação. Apesar do movimento, Ciro reforçou que não o espera como concorrente nas urnas, embora deseje ver Lula inocentado: “Torço muito por duas coisas: uma, para que seja absolvido e, restaurado moralmente, ele possa entender que seu papel neste instante não é estressar esses ódios e paixões, mas mobilizar o povo brasileiro para este debate que o país está pedindo”.

Confira a íntegra da entrevista ao Metrópoles:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247