Ciro manda recado para Lula e diz que quem não aderir a frente ampla com ele, FHC e Marina é "traidor"

Presidenciável do PDT, que também é considerado "traidor" por ter se omitido no segundo turno da eleição presidencial de 2018, falou em encontro promovido pela Globonews

Ciro Gomes e Lula
Ciro Gomes e Lula (Foto: Reuters | Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-ministro Ciro Gomes, que pretende disputar a presidência da República em 2022 pelo PDT, chamou de "traidor" quem se recusar a participar de uma frente ampla contra o fascismo, num claro recado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se recusou a assinar o manifesto Juntos. "Ninguém do povo vai entender a superficialidade de qualquer um de nós que, por mimimi, por manha, por marra, não cumpra sua tarefa de proteger a democracia que custou vidas a vários brasileiros", disse ele. "Vamos esquecer o exílio? Nem a pau, Juvenal. Vamos pro cacete, vamos defender a democracia brasileria e quem não vier é traidor".

Ciro, que também é considerado "traidor" por ter se omitido no segundo turno da eleição presidencial de 2018, falou em encontro promovido pela Globonews, emissora criticada por não convidar Fernando Haddad, candidato da oposição com mais votos em 2018. Ao que tudo indica, a estratégia da centro-direita, da qual a Globo faz parte, é tentar combater o fascismo representado por Jair Bolsonaro, mantendo acesa a chama do antipetismo, que é justamente a causa do atual regime. Sem antipetismo alimentado pela Globo e por políticos de centro-direita, não teria havido golpe de estado em 2016, a prisão política de Lula em 2018 nem a ascensão de Jair Bolsonaro ao poder. É por isso mesmo que Lula tem se recusado a participar de frentes nem tão amplas assim.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247